Operação Gabriel realizada pela Polícia Civil prende quadrilha especializada em roubos de joias

804

Quadrilha presa pela Polícia Civil roubava joias e veículos

A Polícia Civil desarticulou, na manhã de ontem (22.05), uma quadrilha composta por 19 pessoas. Pelos menos 14 homens do grupo especializado em roubo de joias  estão presos na Delegacia Estadual de Investigação Criminal (Deic). Outros três menores de idade, que também agiam com o bando, foram encaminhados para a Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (Depai).

Além dos mandados de prisão, foram expedidos 22 mandados de busca e apreensão. Durante a ação policial, denominada de Operação Gabriel, foram apreendidos nove carros, 12 motos, um jet ski, computadores, celulares, joias, munições e drogas. Supostas vítimas da quadrilha já procuram a delegacia para fazer o reconhecimento que deve acontecer durante a semana.

O Poder Judiciário deferiu o pedido de prisão temporária dos integrantes da quadrilha, sendo que quatro deles ainda não foram encontrados pela Polícia Civil. A delegada titular da Delegacia Estadual de Investigação Criminal (Deic), Adriana Ribeiro, disse que a prisão temporária pode ser prorrogável por mais cinco dias. “Caso seja necessário, vamos pedir a prisão preventiva. O requerimento pode surgir também a partir do reconhecimento das vítimas.”

No pátio das delegacias especializadas de Goiânia estão os veículos apreendidos, alguns de luxo, como Camaro, Veloster, Omega e New Fiesta. Há também carros populares: Celta e Gol. As motos variam de Honda Biz a CG 150, sendo algumas também de luxo. Os veículos serão periciados para a verificação de possíveis adulterações.

Jet Sky e um dos veículos apreendidos na Operação Gabriel

A polícia suspeita de que os carros, caminhonetes e motocicletas foram adquiridos para lavagem de dinheiro advindo do tráfico de drogas e dos roubos de joias. Caso não seja comprovada nenhuma irregularidade ou a utilização dos mesmos para os crimes, os carros e motos serão devolvidos.

Adriana Ribeiro disse que a quadrilha atuava desde o início do ano na capital. As investigações se iniciaram em fevereiro, quando houve um latrocínio que vitimou Gabriel Coelho Chagas, 21 anos. Ele era filho do policial civil Éder Henrique Chagas. Ele foi abordado e, quando um dos bandidos tentou roubar uma corrente de ouro, Gabriel foi atingido fatalmente por um disparo de arma de fogo. A delegada disse que os três menores de idade apreendidos estão envolvidos neste caso. Todos eles já tinham passagem pela polícia.

Atuação

Adriana Ribeiro afirmou que a quadrilha atuava em vários bairros da capital. “Eles andavam procurando locais de fácil acesso. Campinas era um dos preferidos”, disse. Ela explicou que, na verdade, as joalherias não eram o foco dos bandidos. “Eles preferiam pessoas que andavam com bolsa ou ostentando. Além de transeuntes, também assaltavam comércios.” Em todas as abordagens, os bandidos utilizavam armas de fogo. No entanto, nenhum revólver foi encontrado pela policia.

As prisões foram efetuadas em diversos bairros de Goiânia. “Em quase todos os locais apreendemos veículos”, lembrou a delegada. No início da manhã de ontem, 20 equipes compostas por 10 delegados e cerca de 50 agentes e escrivães da Deic começaram a operação. No cumprimento dos mandados de prisão foram também lavrados dois flagrantes por tráfico de drogas. Dois acusados estavam com cerca de 1 quilo e 200 gramas de maconha.

Fonte: O Hoje
Texto: Lyniker Passos
Fotos: G1/GO