Genarc, de Anápolis, prende casal com carro roubado, drogas e arma escondidos em casa

503

O Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc), de Anápolis, começa o ano com a prisão de um casal suspeito de comandar o tráfico de médio porte em na cidade. Leonardo Barbosa Barros, 25 anos, e Juliana Marques Mendes, 19 anos, foram presos em flagrante na terça-feira (29.01), em uma chácara no setor Vale das Brisas. Em poder do casal, a Polícia Civil aprendeu veículos roubados, drogas e uma arma.

O delegado Alex Nicolau do Nascimento Vasconcellos, Coordenador do Genarc, disse que o casal estava sendo investigado há duas semanas por tráfico de entorpecentes. Na terça-feira, os policiais localizaram a chácara em que o casal residia e lá encontraram  dois veículos roubados, sendo um Fiat Punto, ano 2012, e uma Ford Ecosport, ano 2008. Os dois carros com foram roubados em Brasília nos dias 29 e 30 de dezembro passado, respectivamente.

Na chácara, os Policiais Civis apreenderam também um rifle calibre 22, municiado com cinco cartuchos, escondida sob o colchão da cama do casal, além de 300 gramas de maconha, cinco porções de cocaína e uma balança de precisão com vestígios de drogas ilícitas. A dona do carro Ecosport foi localizada e reconheceu o veículo Fiat Punto como sendo o utilizado para praticar o roubo da Ford Ecosport.

Leonardo Barros é natural da cidade de São Miguel do Araguaia e possui passagem pela antecedentes criminais por estelionato. Por sua vez, Juliana Mendes é natural de Anápolis e não possui identificação criminal. Alex Vasconcellos acredita que não foram os dois autuados que efetuaram o roubo dos veículos, mas que os receptaram para serem trocados por drogas.

Alex Vasconcellos disse que o casal colaborou com a investigação, mostrando o local onde estavam as drogas e a arma. “Eles alegam que uma pessoa deixou os dois veículos na chácara e que receberiam R$ 500 em dinheiro e mais uma quantidade de drogas para manter os veículos guardados até a segunda-feira da semana passada, dia 21.”, explica o Delegado do Genarc.

Alex Vasconcellos conta que as pessoas que deixaram os veículos no local não voltaram para buscá-los e que o casal começou a vender peças da Ecosport. “Eles tiraram as rodas da Ecosport, as quais já haviam sido comercializadas. Quando chegamos ao local o carro estava em cima de cavaletes”, destaca. Vasconcellos acredita que quem roubou os veículos possam ser integrantes de uma quadrilha que utiliza veículos roubados como moeda de troca para a aquisição de drogas.

 Foto: Google (Ilustração)