Operação “Poderoso Chefão” combate tráfico de drogas na região oeste de Goiás

788
poderoso chefão
Dinheiro e drogas apreendidos

A Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC) de Iporá, desencadeou, no dia 23 de julho, operação denominada de “Poderoso Chefão”, com o objetivo de combater o tráfico de drogas na região do oeste goiano. Ao todo, 102 policiais participaram da operação, que teve como foco as cidades de Caiapônia, Doverlândia e Palestina.

Segundo o delegado Ronaldo Leite, coordenador do GENARC, o objetivo inicial da ação era o cumprimento de 24 mandados de prisão preventiva e 36 de busca e apreensão. Além das três cidades tidas como alvos centrais da ação, a operação se estendeu também aos municípios de Aragarças, Piranhas, Iporá, Montividiu e Jataí. Por fim, foram cumpridos 20 mandados de prisão e 35 de busca.

Em Caipônia, foram presos Alessandro Balbino de Sousa, Daiane Silva Rodrigues, Elza Feitosa da Silva, João Pereira de Souza, Neucivone Valdelo Ribeiro e Sebastião Martins de Souza. Em Doverlândia, Andrea Oliveira dos Santos Felipe, Ismar Caetano da Silva, Evânio Vieira Lopes, Martilliano Raimundo dos Santos e Valcivon Pedro dos Santos.

Em Palestina de Goiás, foram detidos Marcelo Goulart Brendle e Paulo Rodrigues dos Santos. Em Piranhas, Adriano Aparecido Portilho Leite, Elson Gomes Portilha e Josilan Ferreira Morais. Em Iporá, Paulo Henrique Soares Oliveira e Maurina Domingues dos Santos. Neudson Carlos Pereira dos Santos e Sebastião Miguel Vargas Peres foram presos em Aragarças.

poderoso chefão2
Armas e munições

Durante a operação, ainda foi preso Cleiton Isidoro Borges Caetano, em Doverlândia, por estar na posse de um revólver calibre 38 com a numeração raspada. Foram também autuados em flagrante por porte de arma e tráfico de drogas, Evânio Vieira Lopes, Marcelo Goulart Brendle, Paulo Rodrigues dos Santos, Maurina Domingues dos Santos e Sebastião Martins de Souza, este último somente por porte de arma.

De acordo com Ronaldo Leite, a operação “Poderoso Chefão” somente foi viabilizada pela força tarefa organizada pela Polícia Civil, sobretudo pela 7ª Delegacia Regional de Polícia, que convocou todos os policiais disponíveis dentro da regional de Iporá, e pelo Departamento de Polícia Judiciária, que convocou os policiais civis das demais regionais envolvidas.

“Um agradecimento especial deve ser feito para a Delegacia de Polícia de Caiapônia, que cedeu seu espaço para a atuação do GENARC durante a execução da operação”, ressalta Ronaldo.

Texto: Flávia Guerra –  Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Fotos: Polícia Civil / GENARC / Posse