Operação Post-Factum, da Furtos, cumpre mandados contra 14 alvos

674
IMG_1690
Operação Post Factum: Policiais civis apreendem peças de veículos na Vila Canaã, em Goiânia

14 mandados de Busca, 11 prisões, além de apreensão de drogas, grandes quantias em dinheiro, componentes e peças de veículos roubados: esse foi o resultado da Operação Post-Factum, idealizada pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) ao longo da manhã de sexta-feira, 12. O objetivo foi cumprir mandados de prisão, busca e apreensão e condução coercitiva relativos a 14 indivíduos suspeitos de integrarem uma facção criminosa dedicada à prática dos crimes de roubo e interceptação de veículos.

Devido às dimensões da operação, coordenadas pelo delegado José Antônio Podestà Neto, a Furtos teve o apoio da Polícia Técnico-Científica, Grupo Tático 3 (GT-3), Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) e Delegacia Estadual de Repressão a Ações Criminosas Organizadas (Draco), além de servidores da Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (SEAP).

Durante as investigações, foi averiguado que os membros da quadrilha praticavam roubos nos setores Alto da Glória, e Jardim Goiás, ambos na Zona Sul de Goiânia. Após o desmanche, as peças e componentes dos veículos eram vendidas em lojas na Vila Canaã, na região oeste da capital. Em una dessas lojas, Geração Autopeças, os policiais surpreenderam várias peças de veículos roubados, além de munições calibre 22. O proprietário do estabelecimento, José Ferreira Júnior, é acusado de adquirir os automotores roubados pelo restante da quadrilha para fins comerciais.

Durante a operação, os policiais também apreenderam drogas. Porções de maconha foram encontradas na residência de Guilherme Batista da Cruz. Nas proximidades desse local, Romário Pionto foi encontrado com porções de cocaína e R$ 1,9 mil em dinheiro. Uma porção de maconha e R$ 3,6 mil em dinheiro foram encontrados na residência de Marciano Martins dos Santos, em cujo desfavor havia mandado de coerção coercitiva.

Na residência de Giselle Rosa Rodrigues, esposa de outro alvo da operação, Marcelo Alves da Silva, foram encontradas peças de um veículo que havia sido desmanchado no dia anterior.

Os indivíduos enquadrados pela Operação Post Factum responderão pelos crimes de Associação Criminosa Armada (Artigo 288, Parágrafo Único, do Código Penal Brasileiro), Roubo de Veículos (Artigo 157 do CPB), Receptação (Artigo 180 do CPB), Porte Ilegal de Munição de Calibre Permitido (Artigo 12 do Estatuto do Desarmamento) e Tráfico de Drogas (Artigo 33 da Lei de Drogas), de acordo com a conduta praticada por cada um deles, os quais foram encaminhados para a Casa de Prisão Provisória (CPP), onde ficaram à disposição do Poder Judiciário.