Operação Santana: GIH Anápolis cumpre 11 mandados de prisão e soluciona cinco homicídios em uma semana

1803
Arma apreendida em poder de João Batista, pai de Rafael Santana

O Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Anápolis prendeu 11 prisões, duas delas em flagrante e elucidou cinco homicídios ocorridos no município com a deflagração, nesta semana, da Operação Santana. A ação levou esse nome em alusão a Rafael Santana de Almeida, autor de duplo homicídio e tentativa de homicídio contra outras duas pessoas em outubro do ano passado.

Segundo o delegado Vander Coelho, titular do GIH e coordenador das diligências, além das 11 prisões foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão. Durante o cumprimento dessas determinações judiciais, João Batista, pai de Rafael, foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Outro indivíduo foi autuado por posse ilegal de munições.

De acordo com a autoridade policial, essas ações auxiliaram na elucidação de cinco casos de homicídio ocorridos na cidade de Anápolis. Um deles foi o duplo homicídio ocorrido em 16 de outubro do ano passado, que vitimou Rafael Nelis e Olimar Godoi de Oliveira. Também foi solucionada a dupla tentativa de homicídio contra Jaqueline Faria Freire e Alysson Paulo Gonçalves.

As investigações concluíram que Rafael Santana de Almeida (capturado pela Polícia Militar e após troca de informações desta com o GIH), Mateus Vinicius Peixoto da Silva e um menor são os autores do crime. Rafael e Mateus foram presos. O menor foi apreendido. Segundo as investigações, o crime foi motivado por uma desavença antiga existente entre Rafael Santana e Rafael Nelis.

O segundo caso esclarecido foi o homicídio de Anderson Nogueira Mendes, ocorrido no dia 04 de novembro de 2017, na Vila Mariana. Foram presos como autores Ariel Costa Rodrigues e Girlaine Costa Rodrigues. Um outro menor foi apreendido. Todos são da mesma família. Nessa investigação ainda foi cumprido um mandado de prisão contra Denis Bernardes dos Santos, outro autor do crime, além de ter sido lavrado auto de prisão em flagrante em desfavor de Ariel por posse ilegal de munições.

Desempenho
Também foi solucionada a morte de Júnior César dos Santos, por alcunha “Caburé”, no dia 24 de janeiro deste ano na Vila Operária. As equipes do GIH prenderam Luiz Luciano da Silva Neto e descobriram que o motivo do crime foi vingança. Ainda na mesma operação foi realizada a prisão de Carlos José da Silva, apontado como sendo um dos autores do homicídio de Fábio Júnior Mendes Costa, ocorrido no dia 17 de julho de 2016.

Por fim, foi solucionado o caso envolvendo a morte de Júlio César Ribeiro de Sá, ocorrida no último dia 16 de janeiro, na Avenida Mato Grosso, Bairro Jundiaí. A Polícia Civil investigou e prendeu Paulo Henrique Tomaz de Aquino como sendo um dos autores do crime praticado em plena luz do dia, quando duas pessoas abordaram a vítima e a alvejaram enquanto ela se encontrava dentro de um veículo estacionado. A ação foi registrada por câmeras de segurança da vizinhança. O segundo autor permanece foragido.

O delegado Vander Coelho salienta que, somente neste ano, o GIH solucionou 17 assassinatos ocorridos em Anápolis e já deu cumprimento a 32 mandados de prisão contra homicidas. A autoridade policial parabeniza e agradece o apoio de toda a equipe do grupo especializado pelo empenho demonstrado neste período.