PC prende autor de latrocínio que chocou Goianésia

465

WhatsApp Image 2017-02-21 at 09A Polícia Civil de Goianésia prendeu, no início da tarde de segunda-feira (20), outro suspeito de matar Celso Alonso de Luna (foto) no dia 2 de fevereiro. Dezoito dias após o fato, a polícia identificou e apreendeu três suspeitos, sendo dois menores e um maior.

No dia do crime, Celso comemorava seu aniversário e, quando voltava para sua residência a pé, foi abordado por três jovens em um Gol G6 de cor prata, de onde 2 suspeitos desceram. Danillo Silva Gonçalves e o menor D.A.S.O. anunciaram o assalto. Cada um deles estava com um revólver em punho. O terceiro suspeito, T.D.S., permaneceu na direção do veículo, pronto para dar fuga.

Quando anunciaram o assalto, um dos suspeitos encostou a arma nas costas de Celso e ,em uma ação de intimidação, bateu com o cano do revólver nas costas da vítima. Em uma desses movimentos, o autor puxou o gatilho. A arma disparou à queima roupa nas costas da vítima, que não resistiu aos ferimentos.

Após o disparo, os suspeitos se assustaram e fugiram do local no veículo. Eles não levaram nenhum pertence da vítima. Na manhã do dia e e fevereiro, os supostos autores foram para Goiânia, com o objetivo de sair do flagrante.

Confissões
Dois menores suspeitos de estarem praticando diversos roubos em Goianésia, inclusive suspeitos da morte de Celso, foram apreendidos no dia 10 de fevereiro, após terem praticado pelo menos quatro roubos na noite que antecederam suas apreensões.

Já na Delegacia os menores D.A.S.O. e T.D.S. confessaram a participação na morte de Celso. Alegaram que o tiro foi acidental, enquanto um deles manuseava a arma engatilhada. No dia seguinte, outro menor, W.R.F.J. foi apreendido no Residencial dos Ipes em posse da arma de fogo (Revólver calibre 38) utilizada no latrocínio.

Após investigações, do serviço de inteligência da Polícia Civil, a equipe de investigadores lograram êxito no cumprimento do mandado de prisão de Danillo Silva Gonçalves, o qual foi preso quando chegava em sua residência, no dia 20 de fevereiro.

Danillo ainda foi preso em Flagrante em posse de um revólver calibre 22 devidamente municiado com 7 munições. Essa arma foi utilizada no assalto que culminou em latrocínio. Também foi apreendida, junto ao autor, uma porção de 75g de maconha. Danillo confessou sua participação no roubo que resultou na morte de Celso e relatou que o disparo teria sido realizado pelo menor D.A.S.O. Com a prisão do suspeito, o inquérito policial que apura a Morte de Celso seguirá em apuração e logo será remetido ao Poder Judiciário.