Polícia Civil: Preso homem acusado de manter professor e o filho de 6 anos como reféns

601

Paulo Henrique Araújo de Freitas, de 20 anos, foi preso por Policiais Civis de Goiatuba na manhã de ontem, 19/05. Paulo Henrique é acusado de ter feito o professor universitário Ivaldo Gomes da Silva, de 35 anos, e seu filho de 06 anos, como reféns.

As vítimas pernoitavam na República Santa Maria, em Goiatuba, na noite do dia 18 para 19 quando, por volta das 05h40, ouviram barulhos nas portas das kitinetes e de vidros se quebrando. Ao baterem na porta do quarto em que estavam, Ivaldo colocou uma cama como obstáculo e se trancou no banheiro com o filho, momento em que avisou uma amiga, que ligou para o Agente de Polícia Civil, Cruz, que se deslocou imediatamente até o local.

Paulo Henrique invadiu o quarto armado com uma faca e foi até o banheiro, onde fez o professor e o filho como reféns. Extremamente agressivo e agitado, obrigou-os a irem para outra kitinet e, procurando por um amigo de nome Fábio, fez a mulher deste também de refém. Pedro Henrique levou os três reféns para um banheiro e pegou um botijão de gás e uma caixa de fósforos, ameaçando colocar fogo em todos.

O professor Ivaldo, ao perceber uma leve distração de Pedro Henrique, fez com que seu filho e a esposa de Fábio escapassem e saíssem correndo. Nesse momento chegou o Policial Civil Cruz e os Policiais Militares Soldado André e o Cabo Carlos. Pedro Henrique então passou a exigir a presença de seu pai e pediu que o professor Ivaldo retirasse de seu bolso uma porção de cocaína e colocasse em sua mão, momento que fez o uso da substancia entorpecente. O pai de Pedro Henrique, amparado pelos Ooliciais Civis e Militares, ajudou a convencer o mesmo a se entregar, o que aconteceu cerca de quarenta minutos depois.

Para chegar ao local do cárcere privado, Pedro Henrique havia praticado o roubo de uma motocicleta Yamaha de cor prata, pertencente a um mototaxista que havia solicitado para fazer uma corrida. Após exame médico, ele foi conduzido à presença do Delegado Gustavo Carlos Ferreira que o autuou em flagrante delito pelos de tentativa de homicídio, dano, qualificado por motivo egoístico ou com prejuízo considerável para a vítima, violação de domicílio, lesão corporal, ameaça, sequestro e cárcere privado.