Polícia Civil apresenta autor de homicídio cometido em 2013 em Pontalina

448

WhatsApp Image 2017-03-08 at 161Policiais Civis de Pontalina apresentaram Paulo Elias Ferreira (foto), 40 anos, autor de homicídio praticado em 2013 contra Luzia Rodrigues da Silva, de 37 anos. O crime chocou a cidade. A ação policial se deu na quarta-feira (08), e contou com o apoio da equipe de policiais da Delegacia de Polícia (DDP) de Minaçu.

Paulo trabalhava em Edealina, cidade vizinha a Pontalina, e nessa região se envolveu com Luzia. No dia 4 de maio de 2013, os dois se desentenderam por causa de uma discussão em uma lanchonete. No trecho entre Pontalina e Edealina, estacionaram o carro às margens da estrada e desceram. A briga entre o casal se estendeu até que Paulo segurou Luzia pelo pescoço, sufocando-a até a morte.

Após matar Luzia, Paulo decidiu simular um acidente de trânsito para se livrar da culpa pelo crime, e para isso colocou a vítima no porta-malas do veículo e a transportou até um local escolhido para abandonar o automóvel.

Perícia
À época dos fatos, os familiares de Luzia chegaram a registrar o seu desaparecimento, mas o corpo foi localizado quatro dias depois, em estado avançado de decomposição. Em seu depoimento, Paulo havia alegado que o corpo de Luzia se ejetara do banco de passageiros. Embora tivesse sido encontrada fora do veículo, laudo pericial posterior revelou que havia sangue da vítima no porta-malas.

Após ser preso, Paulo confessou ter matado a companheira. O autor revelou ainda que o crime ocorreu por conta de uma discussão que teve com Luzia em um pit dog em Pontalina. Após Luzia lhe desferir um tapa no rosto, o autor sentiu-se desonrado e decidiu matá-la.

Diante do que foi apurado, Polícia Civil representou por sua prisão temporária. Paulo foi encontrado na cidade em Minaçu, a 700 km de Pontalina. Após cumprimento de seu mandado de prisão, o autor foi recolhido na Agência Prisional de Pontalina, onde está à disposição do Poder Judiciário

Paulo responde a inquérito por crime de homicídio qualificado. A pena prevista para é de 12 a 30 anos de prisão.