Polícia Civil apresenta suspeitos de terem assassinado Pamella Munik, torcedora do Goiás

633
Suspeitos de terem assassinado Pamella Munik e a arma que pode ter sido utilizada no crime

Os três jovens envolvidos na morte da torcedora do Goiás, Pamella Muniki Volpato, assassinada no dia 6 de novembro desse ano, foram apresentados ontem(dia 06.12) pela Polícia Civil. Ricardo de Araújo Teixeira, 22, e Jordanes Guimarães Silva, 19, são os suspeitos de ter realizado os disparos. Gabriel Alves Balbuíno, foi detido na última sexta-feira (02)  por posse ilegal da suposta arma do crime. Pamella foi morta com um tiro na cabeça quando saia de uma festa de um site de relacionamentos  com o namorado, Wallisson Nogueira, conhecido como “Zoião”, e dois  primos.

 De acordo com o delegado responsável pelo caso, Kleber Leandro Toledo, Ricardo e Jordanes são membros da torcida organizada do Vila Nova, Sangue Colorado. Uma rixa entre as torcidas seria a causa da morte. “O crime foi motivado por desavenças antigas entre integrantes da torcida Sangue Colorado e da Força Jovem. Os torcedores do Vila Nova acharam que o namorado da jovem estaria envolvido na morte  de Lucas Arantes de Moraes, também torcedor do Vila, assassinado no dia 25 de junho de desse ano. Isso motivou o assassinato, que por um erro na execução, atingiu Pamella.

O delegado detalha que a polícia obeteve informação dos autores do crime desde o dia do homicídio, mas somente a partir das investigações foi possível pedir que a prisão dos dois suspeitos fosse decretada pela Justiça. Segundo o delegado Jordanes foi preso no dia 17 de novembro. “Em seu depoimento ele alega que não estava com o outro suspeito no momento do crime e afirma ser inocente”. Já Ricardo foi detido logo depois, no dia 21. O delegado conta que ele seria o autor dos disparos. “O Ricardo confessou o crime e inocentou o amigo”, destaca o delegado.

Pamella Munik: morta aos 17 anos

 O desencontro de informações fez com que a Polícia Civil prolongasse as investigações. Já que o namorado de Pamella, Walisson e os primos, confirmam que no momento do crime, Ricardo e Jordanes estavam juntos. “Solicitamos a prorrogação da prisão dos dois principais suspeitos por mais 30 dias para que seja esclarecido se de fato esse jovem teve participação na morte da jovem”. Ele destaca que esse é o único ponto que falta ser esclarecido no caso de Pamella.

 Texto: Leydiane Alves
Fonte: Diário da Manhã
Foto: Danilo Bueno