Polícia Civil conclui investigações sobre latrocínio ocorrido em 2015

451

francisco lipariA Delegacia de Investigações Criminais (Deic), por meio do Grupo de Repressão a Latrocínio, apresentou na manhã desta terça-feira (17), um dos homens acusados de matar Luan Alexandre do Carmo, de 24 anos, no dia 12 de novembro de 2015, no Condomínio das Esmeraldas, em Goiânia. De acordo com as investigações, a dupla assassinou o jovem durante roubo de um aparelho celular, vendido posteriormente por um valor de R$ 150.

Maycon Regis dos Santos, de 18 anos, é apontado como executor material do crime, responsável pelo disparo de arma de fogo que vitimou Luan. Preso temporariamente no dia 3 de maio de 2016, ele foi interrogado e disse ter atirado contra a vítima após a mesma ter esboçado reagir ao roubo. Na oportunidade, Maycon ainda declarou ter praticado o crime em coautoria de Sílvio José dos Santos e vendido o aparelho para um usuário de drogas, logo após o crime.

Sílvio José, de 20 anos, preso por prática de roubo na cidade de Hidrolândia, foi interrogado sobre o crime e confessou, com riqueza de detalhes, ter participado do crime que vitimou Luan Alexandre, em coautoria de Maycon Regis. A Polícia Civil apurou que os indiciados eram especializados na prática de roubo de celulares, praticando até cinco cinco crimes dessa natureza por dia, agindo, inclusive, em outras cidades.

A dupla afirmou que, no dia do latrocínio de Luan, a vítima foi escolhida aleatoriamente, quando caminhava pela rua. Maycon disparou contra Luan no momento em que ele entregava o aparelho celular. Chamou atenção da polícia o vasto histórico de ocorrências criminais em nome dos indiciados, que possuem passagens diversas por outros roubos. Maycon Regis, inclusive, possui passagem por prática de homicídio quando ainda era menor de idade.