Polícia Civil de Goianira autua duas pessoas por propaganda enganosa de curso preparatório para concursos

631

A Delegacia de Polícia de Goianira lavrou, nesta quarta feira (31), termo circunstanciado de ocorrência em desfavor G.P.C, de 31 anos, e J.A.S., de 46 anos, pela prática de propaganda enganosa de curso preparatório para concursos militares.

Os investigadores receberam a denúncia de que os indivíduos estariam fazendo propaganda enganosa, divulgando uma palestra em uma escola de Goianira, com o intuito de comercializar inscrições em curso preparatório on-line, à distância, através de cobrança de valores. De acordo com a denúncia, esse tipo de situação já ocorreu em outras cidades, gerando prejuízos aos consumidores, inclusive com prisões em flagrantes por acusação de estelionato.

O delegado Bruno Costa e Silva disse que foram apreendidos panfletos e constatou-se propaganda enganosa, caracterizada pelo excesso de informações sem clareza e precisão, alusão a valores de salários a serem recebidos, gratuidade dos serviços, gerando confusão e capazes de induzir os consumidores a erro. Testemunhas confirmaram que os indivíduos distribuíram os panfletos em escolas públicas na quarta-feira (31).

Nos ofícios encaminhados à escola pública e apresentados pelos autores, constam informações divergentes dos panfletos e consta ainda que o valor cobrado refere-se à inscrição em bolsas de estudos, quando na verdade, trata-se de aquisição de um curso on-line.

G.P.C. afirmou ser proprietário da empresa GOPEM (Grupo de Orientação Pré-Militar) e negou a prática do crime. Disse que presta serviços de curso preparatório on-line para concursos militares, cobrando o valor de duzentos reais por um ano de acesso ao material no site e que a palestra, que é gratuita, serve para dar informações sobre a carreira militar. Informou ainda que não tem conhecimento se algum aluno de seu curso tenha conseguido aprovação nos concursos. J.A.S. também se declarou inocente, disse que apenas ministra palestras e não tem envolvimento com o curso.

A ação rápida dos Policiais Civis de Goianira impediu que consumidores fossem lesados na nossa cidade.