Polícia Civil: Decar prende 3 suspeitos de receptar carga roubada com 496 televisores

442

Veículos e aparelhos televisores apreendidos pela Polícia Civil

Rapaz considerado líder
do grupo havia sido preso
 outras três vezes. Operação
 da Decar também  apreendeu
 quatro veículos, em Goiânia

Três homens foram presos em flagrante pela Polícia Civil, no Setor Parque Amazônia, em Goiânia, por suspeita de receptação de uma carga roubada com 496 aparelhos televisores. Eles foram apresentados nesta quinta-feira (8) na Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar).

Além da carga, a Polícia Civil também apreendeu, na quarta-feira (7), quatro veículos, dentre eles um caminhão onde estavam os televisores. Dos outros três carros, dois são frutos de ação criminosa, pois estavam com documentos falsos e a numeração do chassi raspada. O último automóvel estava no nome de um dos suspeitos.

O rapaz apontado como líder da quadrilha, de 24 anos, já havia sido preso outras três vezes pelo mesmo crime. Outro suspeito, de 26 anos, responde a um processo por homicídio, cometido em Goiânia no mês de maio de 2011. O terceiro homem, de 28 anos, não tinha passagens pela polícia. 

Segundo o delegado substituto da Decar, Carlos Caetano, o grupo ainda é suspeito de ter cometido o roubo ao caminhão que levava a carga e ter agido com violência na prática do crime. “Este roubo aconteceu no último sábado (3), em Hidrolândia [na Região Metropolitana de Goiânia]. Eles teriam obrigado o caminhão a parar e mantido o motorista refém por 12 horas até transferir a carga para o veículo deles, que foi apreendido”, informou o delegado ao G1.

De acordo com Carlos Caetano, a Polícia Civil ainda apura se há outras pessoas que façam parte da quadrilha. Toda a carga será periciada e, logo em seguida, devolvida a empresa proprietária dos televisores. Todos eles estão foram autuados por receptação qualificada e ,se condenados, podem pegar entre 3 e 8 anos de prisão. Eles estão detidos em celas da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), enquanto aguardam vaga na Casa de Prisão Provisória (CPP).

Fonte: G1/GO
Foto: Site A Redação