Polícia Civil: Delegacia de Trânsito indicia 22 motoristas por embriaguez ao volante

291

A Delegacia de Investigações de Crimes de Trânsito de Goiânia (DICT) intimou, na manhã de ontem (02.10), 22 motoristas que rejeitaram o uso do bafômetro. Eles foram pegos em uma operação realizada no começo de julho e agora poderão ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por cinco anos e pagar pena máxima de 1 ano de prisão.

As abordagens aconteceram na BR-153, após show sertanejo. Segundo o delegado de trânsito Waldir Soares, os motoristas que não quiseram fazer o teste do bafômetro desta vez sofrerão punições mais severas: serão indiciados em Termos Circunstanciados de Ocorrência, previstos na Lei de Contravenções Penais por embriaguez ao volante e pela exposição de risco à vida de outras pessoas. Sendo assim, podem pegar de 3 meses a 1 ano de prisão. O delegado pediu à Justiça também a suspensão da CNH dos acusados pelo período de cinco anos.

De acordo com o delegado, o caso solicitava uma postura mais rigorosa, porque antes a punição para os condutores de veículos que se recusavam a fazer o teste do bafômetro era apenas administrativa. “O motorista que não aceitava fazer uso do bafômetro recebia a multa de R$ 957 e a carteira era retida, mas podia ser recuperada no dia seguinte. Sendo assim, ele ficava mais tranquilo em não fazer o teste”, contou.

Delegado Waldir Soares

Para que os motoristas fi­quem mais atentos, o delegado usará recursos da Constituição Federal e do Código de Trânsito Brasileiro para penalização. Segundo Walter, o Supremo Tribunal Federal (STF) age de maneira suave quando não torna obrigatório o teste que indica consumo de bebidas alcoólicas.

“Se o motorista pode escolher entre fazer o teste ou não, então tomaremos medidas mais enérgicas para combatermos a bebida nas estradas e diminuir a violência no trânsito”, explicou.

Nesta operação, que era uma parceria da Polícia Rodoviária Fe­deral (PRF) com a Polícia Civil, nem todos os indiciados eram de Goiânia. Havia também motoristas de Aparecida de Goiânia, Bela Vista e Brasília.

No mesmo dia, 12 motoristas fi­caram detidos após realizar o teste do bafômetro. Foram pegos em flagrante com a taxa acima de 0,6 grama de álcool por litro de sangue – o máximo permitido pela lei. Estes condutores, além de receberem multa, foram presos e liberados após pagamento de fiança que varia de R$ 300,00 a R$ 1.200,00.

Fonte: Diário da Manhã
Texto: Rariana Pinheiro
Foto: Polícia Civil
Charge: Google