Polícia Civil: DEMA deflagra Operação Arca de Noé para apurar maus-tratos a animais

380

A Delegacia Estadual do Meio Ambiente (Dema) deflagrou ontem (11.02) uma ação com o objetivo de apurar denúncias de maus-tratos e abandono de animais. Durante todo o dia, equipes compostas por médicos veterinários e policiais civis e militares averiguaram cerca de 70 queixas feitas à unidade policial nos últimos meses por meio do telefone 197.

Só ontem foram constatados 14 casos de pássaros criados em cativeiro e confirmadas agressões e situações de abandono de 22 cães encontrados em empresas e imóveis nos Setores Urias Magalhães, Conjunto Cruzeiro do Sul e Recanto do Bosque.

A operação, denominada Arca de Noé, prossegue até hoje. O delegado Luziano Severino de Carvalho, titular da Dema, informa que a iniciativa é resultado de uma parceria firmada entre a Dema, Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Conselho Regional de Medicina Veterinária e Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria Municipal da Saúde. “Pretendemos salvar os animais da perversidade humana”, sublinha. Os pássaros apreendidos foram encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Já os cães serão colocados para adoção.

“Almejamos conscientizar as pessoas quanto aos cuidados a serem adotados, a alimentação a ser administrada aos animais e a necessidade de mantê-los em ambiente limpo e amplo”, acentua. O delegado observa que além dos maus-tratos feitos de forma intencional, há casos de equívocos e excessos por parte dos proprietários que acabam por prejudicar o animal. Durante as fiscalizações, conforme diz, as equipes se deparam com cães obesos e muitas vezes deprimidos devido a alimentos inadequados e ao espaço limitado em que são criados. Luziano Severino aponta como inadmissíveis casos de pessoas que criam cães em apartamentos e que ao final do dia os levam para passear presos a coleiras.

Nas situações consideradas menos graves, os animais permaneceram com os próprios donos, tidos como fieis depositários. As equipes, de acordo com o delegado, constataram casos em que dezenas de animais são criados num mesmo espaço. Para estes episódios serão instaurados inquéritos policiais.

Fonte: O Popular
Texto: Maria José Silva
Ilustração: Google