Polícia Civil: Denarc apreende 192 quilos de cocaína escondida em fundo falso de caminhão baú

426
Cocaína apreendida pela Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás (PC) apreendeu, na madrugada desta segunda-feira (24/1), 192 quilos de cocaína em Itaberaí, a 100 quilômetros de Goiânia. A droga, dividida em 96 quilos de cocaína refinada e 96 quilos de pasta-base, vinha da Bolívia para o Brasil e teria entrado no país pelo município de Cáceres (MT). De acordo com a PC, a droga está avaliada em R$ 100 milhões, sendo R$20 milhões de cocaína e R$80 milhões de pasta-base, droga que pode ser multiplicada através da diluição. Os valores fazem desta a maior apreensão, em valor, de droga em Goiás.

A droga saiu da Bolívia e seguiu em direção à Cáceres dentro de um caminhão de mudança. De lá, o veículo viajou até Itaberaí. Como o grupo já vinha sendo investigado a cerca de seis meses pela Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc), nesta madrugada a polícia abordou os suspeitos, mediu o caminhão por fora e por dentro, encontrando a diferença de 23 cm, o que levou a equipe até um fundo falso na parte da frente do veículo. Foram presos Rogéria Batista, 31 anos, Francisco Ferreira, 47 anos e Fernando Lima, 43 anos, que vão responder pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico, podendo pegar até 15 anos de prisão. Já o proprietário da droga que ainda está sendo investigado poderá pegar até 25 de prisão. Segundo o delegado titular da Denarc, Odair José Soares, os presos faziam parte da “célula” de uma quadrilha maior.

Droga estava escondida no fundo falso de um caminhão baú

Francisco, que tem passagem por furto e roubo, seria o contato da quadrilha com traficantes bolivianos. Natural de Porto Velho (RO), o acusado também fiscalizaria a troca de motoristas, que acontececia perto de cada fronteira por questões de segurança. Ele estaria em Itaberaí justamente para acompanhar a troca que seria feita no munícipio. Um outro motorista teria sido levado até a cidade por Fernando e Rogéria, que seriam responsáveis pela contratação de motoristas para o transporte da droga. A apreensão foi feita em um posto de gasolina enquanto o veículo era abastecido. A Polícia Civil descarta a possibilidade de envolvimento dos motoristas no esquema. “Eles não sabiam o que estava sendo transportando”, esclareceu o delegado Odair José Soares.

A cocaína apreendida é conhecida no mundo do tráfico como “escama de peixe”, consumida por pessoas de alto poder aquisitivo, e seria consumida durante o carnaval. A droga não receberia insumos como bicarbonato, o que desvaloriza o produto. Cada grama seria vendida por R$ 20 reais no varejo (venda em pequena quantidade) e o quilo poderia chegar a R$15 mil no atacado (quando a droga é vendida em grande quantidade).

Secretário João Furtado Neto “Foi um golpe grande no crime organizado”

O secretário de Segurança Pública e Justiça de Goiás (SSPJGO), João Furtado Mendonça Neto, enalteceu a ação da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc), que realizou, às 22 horas de segunda-feira, a maior apreensão de cocaína e pasta-base da droga feita pela polícia goiana. “Não foi sorte. A Polícia Civil mostrou no que é mais competente: investigar e prender. Foi golpe grande no crime organizado e conseqüentemente a garantia de maior segurança ao cidadão”, pontuou.

João Furtado: elogios a atuação da Polícia Civil em entrevista à imprensa

O próximo passo é identificar o chefe da grupo e os pequenos distribuidores responsáveis em pulverizar a droga nos municípios. “O perfil dos traficantes “pequenos” é de um homem desmpregado, já inserido no mundo do crime e que vê no tráfico um meio mais seguro de ganhar dinheiro”, explicou a delegada geral da PC, Adriana Accorsi. Destacando a importância do trabalho da PC o Secretário João Furtado afirmou: “muito sangue de goianos foi poupado com essa apreensão”.

 

 

Texto: Michelle Rabelo
Foto:Adalberto Ruchelle
Fonte: Site A Redação