Polícia Civil: Denarc faz a maior apreensão de pasta-base de cocaína do País em 2014

706

Pasta base  e a pista Glock apreendidas pela Denarc

Operação Abre-Alas, da Denarc,
flagrou transporte de quase
meia tonelada da droga que
vinha para Goiânia e renderia
1,3 milhão de pedras de crack
para consumo na região

A Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) fez domingo (16.02) a maior apreensão de pasta-base de cocaína da história do Estado e a maior do País este ano. Os 451 quilos de pasta-base eram transportados do município de Primavera do Leste, no Mato Grosso. Erly de Rezende, de 54 anos, e Vando Célio Pereira dos Santos, de 37, foram presos em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

O delegado Alécio Moreira de Sousa Júnior, adjunto da Denarc, responsável pela operação, disse que a droga tinha como destino a capital goiana, onde seria distribuída para vários traficantes, que provavelmente produziriam crack para ser consumido no carnaval.

“Para cada quilo de pasta-base podem ser produzidos dez quilos de crack. Um quilo de crack tem, em média, 3 mil pedras. Isso quer dizer que essa pasta-base daria para produzir 1.353.000 pedras de crack para consumo em Goiânia e algumas cidades do interior”, disse. Segundo o delegado uma pedra é vendida a 10 reais.

Delegado Alécio Moreira: Investigação

Alécio Moreira de Sousa Júnior explicou que os dois traficantes foram monitorados pela Polícia Civil desde o dia 14, quando deixaram Goiás para buscar a droga no Mato Grosso. Eles foram, cada um em uma Hillux, que foram emplacadas em Barra do Garças (MT) para não chamar a atenção da polícia matogrossense.

No domingo, quando já transitavam com a droga no município de Primavera do Leste, os dois foram seguidos pela Polícia Civil goiana. O carro dirigido por Vando Célio servia como batedor. Eles possuíam nos carros scanner de frequência de rádio. “Se ouvissem na frequência da polícia alguma movimentação poderiam até abortar o transporte da droga para Goiás. Não usamos rádio”.

Quando os traficantes entraram em Goiás, no município de Aragarças, foram presos pelas equipes da Denarc. Com Erly, os policiais civis apreenderam uma pistola Glock, calibre 380 carregada e um carregador do mesmo calibre. Na caminhonete foram apreendidos 11 fardos com 440 tabletes de pasta-base de cocaína.

Segundo o delegado, o trabalho agora é investigar se a droga tinha um único dono ou se vários traficantes de Goiânia quotizaram o transporte da droga. “Alguns fazem isso porque, no caso de apreensão, todos perdem”.

Ele não descarta a possibilidade de Erly ser um dos traficantes donos da droga. Não há informações também sobre em que locais a droga é refinada e transformada em pó e em crack. “Não é quem transporta que distribui e depois refina. Cada grupo tem sua função. São vários laboratórios, de vários traficantes”, disse.

Segundo ele, alguns traficantes chegam a misturar anestésicos para cavalos na droga com menor grau de pureza. Cada barra apreendida de pasta-base é vendida a R$ 15 mil e pode render ao traficante até R$ 50 mil, dependendo da mistura utilizada e do tipo de droga que ela foi transformada.

Os dois homens flagrados pela Denar podem ser condenados a uma pena de até 45 anos de prisão. A droga, supostamente, foi comprada por R$ 7,5 milhões e renderia aos traficantes, R$ 80 milhões.

Fonte: O Popular
Texto: Rosana Melo
Foto: Diomício Gomes (O Popular)