Quadrilha presa movimentou R$ 100 milhões em cargas roubadas e em notas fiscais fraudadas

321

Policiais Civis durante a Operação Manchester da Decar

Computadores, pendrives e documentos com anotações comprometedoras foram apreendidos, além de 13 pessoas presas. Esse foi o balanço parcial da Operação Manchester, que desarticulou uma quadrilha especializada em fraudar notas fiscais de cargas roubadas em Goiás.

Segundo a Polícia Civil (PC), a operação foi deflagrada ontem em Goiânia, Anápolis, Itaberaí e Aparecida de Goiânia. Quatro mandados de prisão expedidos ainda não foram cumpridos. Também foram executados 12 mandados de busca e apreensão. Algumas cargas pequenas de mercadorias roubadas foram encontradas.

A ação foi comandada pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar) e teve a participação de 17 delegados e 83 policiais. Segundo o delegado adjunto Carlos Caetano Júnior, a base da quadrilha funcionava em Anápolis, onde foram presas oito pessoas. Na capital, houve outra três detenções, além de uma em Itaberaí e outra em Aparecida. Entre os detidos estão empresários, funcionários e donos de escritórios de contabilidade.

O delegado disse como era o esquema: “Eram montadas empresas laranjas que lançavam notas falsa onde não eram recolhidos o ICMS. Além disso, ficou comprovado que produtos discriminados nas notas não correspondiam exatamente aos dos carregamentos”. Segundo Caetano, em dois anos de atuação, o grupo movimentou cerca de R$ 100 milhões.

Fonte: O Popular / Jornal Daqui
Foto: Benedito Braga