Polícia Civil desvenda incêndio contra fórum de Iporá

391
incendio ipora
Ruan Carlos e Weder Silva

A Polícia Civil concluiu as investigações acerca do incêndio criminoso ocorrido em 29 de maio do corrente ano, no Fórum de Iporá. Pelo crime, foram indiciados Ruan Carlos Guimarães e Weder Silva Lisboa, que já haviam cumprido pena juntos, por crimes como tráfico, furto e roubo. Segundo o delegado do município, Ramon Queiroz, a dupla foi identificada após provas testemunhais e análise de dados de vários suspeitos.

No dia do crime, um segurança fazia a vigilância do local e acionou o Corpo de Bombeiros assim que percebeu o fogo em uma das salas. Após a contenção das chamas, restou apurado que uma das janelas do local havia sido arrombada, o que evidenciou o caráter criminoso do incêndio. “As câmeras de segurança do prédio não estavam funcionando, e provas periciais foram perdidas com a ação do fogo, o que dificultou ainda mais as investigações”, contou o delegado.

Durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu descobrir que uma quantidade de gasolina avulsa foi adquirida num posto de combustível da cidade, na noite do crime. Funcionários do posto teriam reconhecido Ruan como sendo a pessoa que adquiriu o combustível. Outras testemunhas disseram ter visto Ruan na companhia de Weder, conhecido como “Erê”, nas imediações do fórum.

De acordo com o delegado, a dupla havia se conhecido na prisão. Ruan foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas enquanto as investigações acerca do fórum eram realizadas. A Polícia Civil pediu, então, ao Poder Judiciário, a decretação da prisão preventiva de ambos, pedido prontamente atendido. O inquérito foi finalizado e remetido ao poder judiciário com autoria definida. Os dois foram indiciados pelo crime previsto no artigo 250 do Código Penal, com pena de até seis anos.