Polícia Civil: Empresário preso pelo 4º DP por aplicar golpes no valor de 22 milhões em bancos

1223
Delegado Manoel Borges

Investigado desde janeiro deste ano pela Polícia Civil, Élio Luiz Delollo Júnior foi preso na segunda-feira (1/10) em Goiânia por provocar um rombo de mais de R$ 22 milhões a bancos da capital. Segundo informações do delegado Manoel Borges de Oliveira, do 4º Distrito Policial (DP) de Goiânia, que investiga o caso, também foi decretada a prisão do irmão de Élio, Ênio Luiz Delollo.

“Ele também participava dos golpes, mas não foi localizado. Perguntado sobre o irmão, Élio afirma que não sabe onde Ênio está, mas suspeitamos que ele esteja em São Paulo”, diz.

Além dos irmãos Delollo, como ficaram conhecidos, outras cinco pessoas, que participaram direta ou indiretamente dos golpes, estão sendo investigadas. Edson de Lima Janeri, João Paulo Rodrigues Júnior, Ana Leida Oliveira Rodrigues, Adailsa Maria Ribeiro e Vandeir Sebastião Vieira podem ser detidos a qualquer momento. “Por enquanto eles permanecem em liberdade, mas as investigações continuam”, afirma o delegado.

Élio Luiz Delollo: Golpes em bancos

Os golpes

Mandado de Prisão Temporária

Durante entrevista coletiva, Manoel Borges explicou como os irmãos Delollo agiam. Segundo o delegado, Ênio e Élio, proprietários da empresa Flex Filmes Indústria e Comércio Ltda em Goiânia, foram empresários bem sucedidos por certo tempo. Mas, quando a empresa começou a apresentar problemas financeiros, os irmãos fizeram altos empréstimos em vários bancos da capital.

Entre as instituições bancárias que mais ficaram no prejuízo está o Banco Indusval S.A., com sede em São Paulo e agência em Goiânia.  “Esse banco só empresta para pessoa jurídica. Com ajuda de outras pessoas, os irmãos fizeram um empréstimo inicial de R$ 3 milhões e deram como garantia algumas terras de um município do Tocantins. Ao todo, somados todos os empréstimos, o prejuízo ultrapassa R$ 22 milhões”, explica.

 

Fonte: Site A Redação
Texto: Adriana Marinelli
Fotos: Randes Nunes