Genarc de Itumbiara prende gerente de distribuidora por suspeita de desvios de remédios

627
Medicamentos apreendidos pelo Genarc durante a operação policial

Policiais Civis do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos(Genarc), da 6ª Delegacia Regional de Polícia(DRP), de Itumbiara, prenderam ontem (13.09) Roberto Carlos Bressaglia, de 60 anos, gerente da filial da Distribuidora de Medicamentos Pharlife, sediada naquele município, cuja matriz é em Bauru, São Paulo.  A operação que resultou na prisão do gerente foi realizada em conjunto com a Corregedoria Geral do Estado de São Paulo, Secretaria da Fazenda de Goiás (Sefaz) e Vigilância Sanitária de Itumbiara.

 Na distribuidora, segundo o Delegado Titular da DRP, de Itumbiara, e Coordenador do Genarc, Ricardo Torres Chueire, foram apreendidas 26 caixas de medicamentos diversos, algumas com prazo de validade vencidos e outras em condições impróprias, como embalagens visivelmente adulteradas(rasgadas, amassadas, sujas de barro e com códigos de barra raspados). Além disso, disse Chueire, a própria filial não dispunha de instalações sanitárias adequadas para a venda de medicamentos, situação que terminou com a lacração da empresa pela Vigilância Sanitária Municipal de Itumbiara.

Delegado Ricardo Torres Chueire

A operação policial resultou ainda na apreensão de duas caixas do medicamento Nexavar 200 mg (que contém 60 comprimidos por caixa), cada uma ao custo de R$ 5.000 mil. O medicamento é para uso no tratamento de câncer e tem sua venda proibida no comércio. Numa das caixas a inscrição “proibida a venda no comércio” apresentava adulteração. Observou o Ricardo Chueire que o medicamento provavelmente foi desviado de alguma instituição pública de saúde, visto que não poderia estar em distribuidora de medicamentos privada.

Nexavar: R$ 5 mil o custo da caixa

O fato do desvio do medicamento Nexavar foi que motivou a participação da Corregedoria da Saúde Pública do Estado de São Paulo, através da Polícia Civil Paulista. O Delegado paulista Alexandre Sampaio Zakir, responsável pelas investigações, tem desenvolvido diligências no sentido de coibir os desvios e assaltos na rede pública paulista a fim de obter tais medicamentos de altíssimo valor. Segundo Alexadnre Zakir, que acompanhou a operação em Itumbiara, quando medicamentos são roubados ou desviados da rede pública,  pacientes necessitados ficam sem acesso a eles.

Lembrou Ricardo Torres Chueire que Itumbiara é sede de várias filiais de distribuidoras de medicamentos com matriz no Estado de São Paulo, sendo esta a segunda vez em pouco mais de 30 dias que a Polícia Civil de Goiás realiza esse tipo de operação em Itumbiara em conjunto com os órgãos de controle e fiscalização de medicamentos. Na ação anterior, a Policiais Civis apreenderam R$ 300.000 mil em medicamentos de combate a câncer, desviados da Secretaria da saúde de São Paulo. A apreensão foi feita em uma outra distribuidora paulista,  mas com filial em Itumbiara.

Texto: Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil