Polícia Civil interdita fábrica clandestina de salgados em Goiânia

362

salgadosA Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), em ação conjunta com a Vigilância Sanitária de Goiânia, apreendeu nesta quinta-feira (24/11), cerca de 600 quilos de salgados congelados impróprios para o consumo numa fábrica que funcionava de forma clandestina no Setor Recanto das Minas Gerais. A operação visava verificar a origem de salgados encontrados em outra operação, realizada no mês de outubro, em um supermercado do Setor Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia.

O responsável pelo estabelecimento está prestes a ser identificado pela polícia e responderá por crime contra as relações de consumo e pode cumprir pena de 2 a 5 anos.

No local, foram constatadas irregularidades como acondicionamento inadequado dos produtos prontos para serem distribuídos no mercado, matérias-primas fora do prazo de validade e condições sanitárias precárias. “A grande vantagem é que tivemos a oportunidade de retirar uma grande quantidade de alimentos impróprios para o consumo e que seriam comercializados irregularmente. O mal maior foi evitado”, afirmou o delegado.

Segundo o adjunto da Decon, delegado Rodrigo Godinho, naquela ocasião, os produtos encontrados no estabelecimento apresentavam data de fabricação de “Janeiro de 2017”, ou seja, data futura. Questionados sobre o erro, trabalhadores do local informaram, no entanto, que houve uma troca nas palavras “fabricação/validade” durante a produção das etiquetas.

O delegado afirmou, ainda, que também será realizada uma investigação na gráfica que produziu as etiqueta para verificar se os donos dos estabelecimentos agiram deliberadamente para a prática do crime, ou se o fato ocorrido foi apenas um caso isolado. O enfoque da investigação agora é identificar as responsabilidades de cada um no caso.