Polícia Civil prende suspeito confessa ter estuprado sete crianças da própria família

304

Suspeito foi preso pela Polícia Civil em Itumbiara

Suspeito de 28 anos foi
denunciado pela mulher,
em Aparecida de Goiânia.
Segundo delegada, uma
das vítimas era o enteado
dele, de 11 anos.

Um homem de 28 anos é suspeito de estuprar sete crianças, todas parentes, na Região Metropolitana de Goiânia. Ao ser preso, na terça-feira (13),  ele confessou os três crimes pelos quais era investigado e, segundo a Polícia Civil, surpreendeu ao acrescentar mais quatro vítimas.

Entre as crianças está um enteado do suspeito, de 11 anos. De acordo com a polícia, o menino sofria abusos há pelo menos quatro anos. O estupro foi descoberto porque as irmãs menores do garoto viram o ato sexual e contaram para a mãe, que procurou a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia.

Marcela Orçai disse que o suspeito, ao ser preso, não demonstrou arrependimento pelos crimes cometidos

Na delegacia, a criança disse que sofria abusos desde os 5 anos. Segundo a delegada Orçai, titular da DPCA, o suspeito, no entanto, alega que a o menino tinha 7 anos quando o crime começou a ser praticado. “O laudo psicológico comprova a veracidade dos fatos. A vítima precisará de acompanhamento”, disse ao G1 a delegada.

A mãe da criança morava com o suspeito havia 8 anos e, segundo a delegada, nunca desconfiou dos abusos. Quando ela soube do crime pelas filhas, questionou o marido, que negou o fato, mas ameaçou colocar fogo na casa onde moravam, caso ela contasse a história para alguém. A mulher o denunciou à Polícia Civil e ele fugiu.

Quando a família do suspeito soube da denúncia, segundo a polícia, dois parentes dele tiveram coragem de dizer que também haviam sido estuprados. As vítimas, um menino e uma menina, hoje têm 15 e 17 anos, mas contam que o crime aconteceu quando eles tinham 8 e 10 anos.

Como o suspeito fugiu, a delegada pediu a prisão preventiva dele. O homem foi localizado e preso na terça-feira (13) em Itumbiara, no sul de Goiás. A própria delegada, acompanhada de agentes da DPCA, efetuou a prisão.

Marcela Orçai conta que o suspeito deu detalhes de como cometia os crimes. “Ele é muito frio e não demonstra arrependimento. Disse que sentia vontade e não conseguia se controlar”, relatou.

“Ele aproveitava de estar sozinho com as crianças para cometer os abusos”, explica Orçai. O próximo passo da investigação será ouvir as outras crianças apontadas pelo próprio suspeito como suas vítimas. A Polícia Civil não descarta a possibilidade de surgirem novas denúncias.

Segundo a delegada, a pena para estupro de vulnerável é de 8 a 15 anos de prisão, por cada crime. O suspeito será transferido para a Casa de Prisão Provisória, no complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Fonte: G1/GO
Texto e Fotos : Gabriela Lima