Polícia Civil prende suspeito de ao menos 16 estupros em Goiânia e Aparecida de Goiânia

404
estuprador
Dennes Rafael foi apresentado na DEAM

O vidraceiro Dennes Rafael Gomes Prado Castro, de 30 anos, foi preso pela Polícia Civil acusado de cometer uma série de roubos seguidos de estupros na capital e em Aparecida de Goiânia. As investigações feitas até agora apontam o envolvimento dele em 12 ocorrências que vitimaram 16 pessoas, entre as quais uma adolescente e um homem. Os crimes ocorreram em residências, consultórios e estabelecimentos comerciais sempre durante o dia, entre os meses de março e julho, em diferentes bairros. Para praticá-los, o vidraceiro usou a motocicleta Honda CG 150, cinza escuro, placa NJX-1629.

A prisão do vidraceiro é resultado de um trabalho conjunto desenvolvido pelas 1ª e 2ª Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher da capital (DEAM) – Centro e Jardim Curitiba – e de Aparecida de Goiânia. Em todos os crimes, o vidraceiro agia sem esconder o rosto e sem se preocupar em proteger a placa da moto que usava. Na maioria das vezes, portava um revólver com o qual abordava as vítimas. Em um dos casos, no dia 19 de julho, uma vítima de roubo anotou a placa da moto e forneceu os dados à polícia.

A delegada Ana Elisa Gomes Martins, da 1ª DEAM, informa que as investigações tiveram início com a confecção de retratos falados. Posteriormente, com os dados da placa chegou ao último dono da moto. Inicialmente, as investigações não o relacionaram com a autoria dos estupros. Na sequência, a equipe de policiais procurou a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade e constatou que a moto havia sido multada no dia 21 de julho, com a infração registrada por fotossensor.

A imagem mostra o condutor da moto de costas, com uma camiseta com a inscrição de uma vidraçaria. A roupa foi reconhecida por uma vítima violentada no dia 29 de julho. Ana Elisa disse que descobriu a localização da empresa no Setor Sudoeste pela internet. No local, a equipe policial encontrou Dennes Castro. Ele foi preso no fim da tarde de sexta-feira, na própria empresa, diante dos colegas de trabalho.

No depoimento à delegada Ana Elisa, o vidraceiro confessou a autoria de 11 casos. A delegada, entretanto, tem convicção do envolvimento dele em mais uma ocorrência. Além disso, acredita que Dennes tenha sido autor de outros crimes que estão em investigação e até mesmo de casos em que as vítimas optam por não registrar.

Apesar de abordar suas vítimas sozinho, Dennes contou com a contribuição de um homem. À delegada Ana Elisa, ele informou que o comparsa lhe emprestava a arma e dava-lhe cobertura nas ações, permanecendo do lado de fora dos imóveis que invadia. A parceria de Dennes e o comparsa teve início no Presídio de Trindade, onde estiveram presos por estupro. De acordo com a delegada, Dennes foi condenado a 14 anos de prisão. Ele cumpriu parte da pena no regime fechado e fugiu em setembro, após progressão para o regime semiaberto.

Texto/Fonte: Jornal O Popular
Foto: Zuhair Mohamad