PC prende suspeito de chacina. Preso tem envolvimento também com tráfico e roubo de veículos

360
Alexsandro Assunpção: suspeito  da chacina e a droga, armas, dinheiro e jóias apreendidas em seu poder pela Polícia Civil

Durante três meses a Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH) se debruçou nas investigações para descobrir o paradeiro de Alexsandro Assunpção, 28 anos, considerado um bandido de alta periculosidade. Ele é acusado de liderar uma chacina em maio, no Jardim Marques de Abreu, em Goiânia, quando três pessoas morreram e duas sobreviveram. Preso no dia 20 de julho, ele fugiu da carceragem da DIH usando a chave da cela. Para isso, ele subornou o servidor da Secretaria de Segurança Pública e Justiça (SSPJ) pagando R$ 30 mil.

O suborno irritou a titular da DIH, Adriana Ribeiro de Barros, que determinou prioridade no caso. Além dos delegados Hellyton Carlos Miranda de Carvalho e Alexandre Bruno Barros, da própria DIH, a delegada Flávia Santos de Andrade, de Senador Canedo, reforçou o time. Alexsandro foi localizado numa casa do Setor Solange Park, em Goiânia, na noite de sexta-feira, Dia de Finados, na companhia da namorada, Solange de Morais Brasileiro, 19 anos, grávida de três meses.

Em poder de Alexsandro  Assunpção estavam dois veículos, mais de R$ 300 mil em espécie, um Golf e um Veloster, 100 quilos de maconha, duas armas, e diversos produtos de roubos, como jóias e eletrodomésticos, num valor estimado pela polícia superior a R$ 500 mil. Ao ser encontrado, Alexsandro reagiu à prisão e atirou cinco vezes contra um policial militar. Ele acabou ferido no joelho direito e teve de ser submetido a uma cirurgia. Já detido, Alexsandro ainda tentou subornar os três delegados com os mais de R$ 300 mil e o Veloster, carro que ele adquiriu. O veículo Golf é produto de roubo.

Ontem, na DIH, Alexsandro negou que tivesse participado da chacina ocorrida no Jardim Marques de Abreu, no dia 30 de maio. “Eles estão falando isso porque eu sou de lá”, disse. Segundo o delegado Alexandre Bruno Barros, a casa onde ocorreram os crimes era uma boca de fumo. Além da disputa pelo domínio do tráfico na região, Alexsandro teria se irritado porque um dos ocupantes da casa, Aparecido Faustino Júnior, 39 anos, teria roubado uma corrente de um de seus filhos.

Fonte: O Popular
Texto: Malu Longo
Foto: Mantovani Fernandes