Polícia Civil prende três acusados por tentativa de fraude em vestibular de Rio Verde

665

Presos acusados de fraude em vestibular

Quadrilha, que já fraudou 15 vestibulares, vendeu resultado para Medicina por R$ 25 mil

Uma tentativa de fraude no primeiro vestibular do curso de Medicina oferecido pela Universidade de Rio Verde (Fesurv) levou para a prisão, na tarde de quarta-feira, três pessoas. Duas delas são acusadas de integrar uma quadrilha especializada no crime. Além dos suspeitos, foi preso, também, um dos candidatos que teria contratado o serviço para receber os resultados da prova.

Entre os integrantes da quadrilha, foram detidos Alisson Patrício Roque e Filipe Marquez Belo, de 27 anos. Segundo a Polícia Civil de Rio Verde, outras duas pessoas – um homem e uma mulher – fariam parte do grupo, mas conseguiram fugir. A polícia informou que a quadrilha fraudou pelo menos 15 vestibulares de Medicina em várias instituições de ensino superior do País.

No site da Universidade de Alfenas (MG), conforme apurou O POPULAR, Alisson Patrício Roque, natural de Teresina (PI), foi aprovado no vestibular para o curso de Medicina em junho do ano passado. Filipe Marquez Belo também é estudante de Medicina. Na internet, consta que ele integra a lista dos aprovados, em 72º lugar, no Processo Seletivo 2008 da Universidade Federal de Goiás (UFG). De acordo com a polícia, ele é professor em um cursinho pré-vestibular na capital.

O esquema de fraude no vestibular de Medicina da Fesurv foi descoberto após 2 delegados e 12 agentes da Polícia Civil se passarem por fiscais. Com o professor, os agentes encontraram anotações sobre o questionário. Já o candidato suspeito de participar do esquema foi detido dentro da sala de aula com o celular, mesmo sendo proibido entrar com o aparelho no câmpus. Segundo a reitoria da instituição, ambos conseguiram despistar a fiscalização. A Polícia Civil investiga o envolvimento de outros dois vestibulandos na fraude.

As investigações apontam que candidatos pagavam até R$ 25 mil pelas respostas da prova de vestibular. Os integrantes da quadrilha também faziam a prova e, ao deixar as salas de aula, comparavam os resultados e chegavam a um gabarito. As respostas, então, eram repassadas para outro membro do grupo, que chefiava a quadrilha, e era o responsável pelo envio, via torpedo, aos vestibulandos.

Cerca de 2,4 mil candidatos participaram do processo seletivo da Fesurv para o curso de Medicina, na disputa por 40 vagas. O reitor da universidade, Sebastião Lázaro Pereira, afirma que os demais candidatos não serão prejudicados. O delegado de polícia Luiz Gonzaga é o responsável pelas investigações sobre a tentativa de fraude no vestibular da Fesurv.

Texto: Patrícia Drummond
Fonte: O Popular
Foto: Google(Ilustração)