Polícia Civil: Presos integrantes de gangues que teriam envolvimento em assassinatos

584

Integrantes das gangues presos pela Polícia Civil

Dez delegados de polícia cumpriram seis dos nove mandados de prisão expedidos pela Justiça em uma operação denominada Hamurabi, uma referência à Lei de Talião – “olho por olho, dente por dente”. Uma dívida de 300 reais pelo conserto de uma aparelhagem de som há um ano resultou em um desentendimento entre duas famílias, que gerou pelo menos seis mortes e outras cinco tentativas de assassinato na Vila Monticelli e no Setor Crimeia Leste.

A operação foi deflagrada às 5h30 de ontem, depois que os delegados foram avisados que os agentes não participariam da ação policial (leia texto ao lado) . Foram presos temporariamente Eduardo Batista Pereira, Daniel Bruce, Luan de Brito Nobre, de 22 anos, Dione Alberto Silva, de 25, e os irmãos Alex e Lucas Santos de Araújo, de 23 e 18 anos, respectivamente.

O delegado Adriano Costa, adjunto da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, responsável pela operação, explicou que um foragido, Ítalo Brener Silveira de Godói, de 22 anos, discutiu com os irmãos Alex e Lucas por causa da dívida. O pai de Ítalo, Sandro Ernesto de Godói, foi tirar satisfações com Alex, imaginando ser Lucas, e acabou sendo morto por ele.

                                                        Vingança

Ítalo, para se vingar, matou Jarbas de Araújo, pai de Lucas e Alex, em junho deste ano. Desde então, uma série de homicídios e de tentativas de assassinato tem sido registradas na Delegacia de Homicídios e em distritos policiais. “São seis homicídios e pelo menos outras cinco tentativas de assassinato desde então”.

Segundo Adriano Costa, a última morte foi de Digeorge Vargas, que não tinha nada com os dois grupos, que foi morto a tiros por Lucas e Alex, no Setor Leste Vila Nova, logo após o sepultamento do pai deles, no dia 2 de outubro. Eles estavam atrás de Ítalo e acabaram matando o amigo dele.

Foi a partir do assassinato de Digeorge que o delegado passou a compilar informações sobre a série de homicídios na região e descobriu que a briga entre os grupos começou por um motivo banal.

Ainda segundo o delegado, há suspeita de que os acusados também estejam ligados ao tráfico de drogas na Região Norte de Goiânia. Com a prisão do grupo, o delegado acredita que o número de homicídios na região caia consideravelmente.

Durante a apresentação dos presos à imprensa na manhã de ontem, eles afirmavam que vão matar Ítalo a facadas. Os nomes dos outros dois foragidos não foram divulgados para não atrapalhar as investigações.

Fonte: O Popular
Testo: Rosana Melo
Foto: Diomício Gomes

Nota do Site: Agentes e Escrivães de Polícia não participaram da Operação Hamurabi pelo fato de estarem de greve,