Polícia Civil registra 484 ocorrências de roubos de cargas

288

WhatsApp Image 2016-10-31 at 12.08.14No período de janeiro a agosto de 2016 a Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), registrou 484 ocorrências referentes a crimes de roubo, a cargas no Estado. No mesmo período do ano passado, o numero foi de 440 ocorrências. Segundo o balanço, diferente de 2015, onde as principais ocorrências foram registradas em Anápolis, este ano a cidade recordista é Goiânia. Em todo o ano de 2015, foram 737 ocorrências registradas.

No mês de outubro foram realizadas sete operações pela Decar, a mesma resultou na apreensão de 11 pessoas. Já o mês de setembro foi marcado pela prisão de 21 toneladas de milho resultante de cinco operações e prisão de 12 homens. De janeiro para agosto foram 87 prisões.

Criminosos

Para o delegado titular da Decar, Alexandre Bruno de Barros, dois tipos de criminosos são responsáveis pelo número de ocorrências. “Um deles é o próprio motorista da carga. Aproximadamente 60% das mercadorias são extraviadas pelos próprios motoristas”.

Já o segundo grupo e o mais perigoso, são os assaltantes a mão armada. “Esses vão para a estrada, atiram no caminhão e realizam a abordagem do motorista e o roubo da carga”, conta Barros. Nestes casos, os assaltantes costumam manter o condutor do veículo em cárcere privado por até 10 horas. O tempo é determinado pela demora na transferência da mercadoria até o receptador. Essa demora revela outro problema. “A maioria das cargas são encomendas por donos de supermercados, ou de posto de combustíveis, o que justifica o cárcere privado”.

Conforme o delegado, a incidência do crime e relativa em cada período do ano. “No período de carnaval, combustíveis, bebidas alcoólicas e carnes são produtos que aumentam a procura pelos criminosos, da mesma forma acontece com outros produtos, em cada época do ano”, exemplifica. A orientação do delegado para os caminhoneiros é procurar andar em comboio. “Quem não obedece ao cronograma da empresa são alvos mais fáceis dos criminosos”.

Casos recentes preocupam 

Na segunda-feira (24), a Policia Civil (PC) prendeu três homens, por meio da Operação Pronta Resposta Goiás. As suspeitas são de envolvimento com roubo de uma carga de produtos para escritório como canetas, lápis e borrachas. A carga foi avaliada pela PC, em R$ 1 milhão. O crime aconteceu no último domingo (23), quando uma carreta que seguia de São Paulo para Goiás foi interceptada próximo a Uruaçu, no Norte do estado. Na ocasião, os criminosos dispararam tiros para que os motoristas parassem o veículo. A carga foi encontrada com a quadrilha, e o restante do material furtado estava em uma fazenda em Jaraguá, a aproximadamente 160 km do local do crime.

Na sexta-feira (21), a prisão foi de quatro suspeitos de terem roubado um caminhão carregado de carnes. A detenção em flagrante foi no Setor Itaipu, na Capital. Os suspeitos haviam realizado o crime, a cerca de duas horas antes da comercialização no açougue. De acordo com a PC, a venda da carga roubada estaria fechada antes da pratica criminosa. O assalto aconteceu na Avenida Noroeste, no Jardim Nova Esperança, com destino a Caldas Novas. Já o condutor do veículo foi mantido em cárcere privado. O mesmo só conseguiu comunicar o crime apenas quando foi liberado, e o grupo criminoso entregou a carga.

Em intervalo menor, na uma semana, na terça-feira (18), a PC prendeu dois suspeitos membros de uma quadrilha especializada a roubo de cargas de empresas de cigarro. Os criminosos foram presos na quarta etapa da Operação Tabacaria. De acordo com a Decar, as investigações sobre o grupo se iniciaram ainda no mês de março. A quadrilha com identificação de 18 integrantes atuava em todo o estado. A informação da PC aponta que de apenas uma empresa de cigarro, a quadrilha roubou 15 caminhões desde março. Os prejuízos ultrapassam R$ 2 milhões à empresa. Desde o inicio da operação 12 pessoas foram presas. (Jornal O Hoje)