Polícia Civil: Superintendente do Detran de Inhumas é indiciado por suspeita de corrupção

443

O Delegado de Polícia Humberto Teófilo de Menezes Neto, Titular da DP de Inhumas, remeteu nesta quinta-feira, 15/03, o inquérito policial que resultou no indiciamento do Superintendente do Detran de Inhumas, Geraldo Camilo de Souza Filho, e de mais 5. Além de Geraldo foram indiciados o despachante Válter de Pádua Pedroso, conhecido como “Valtinho”, a ex-funcionária do Detran Adriana Moreira de Brito e o vistoriador Tialiomar Leite de Morais, todos acusados por crimes contra a administração pública, tais como corrupção ativa e passiva.

Ontem mesmo Geraldo Camilo foi afastado cautelarmente das funções. As provas demonstram que ele exigia quantia indevidas de outras pessoas que trabalhavam no Detran e dava prioridade para alguns empresários da cidade que tinham os procedimentos agilizados mais rápidos dentro do órgão.

O Delegado informa que durante investigação apurou-se que esquema funcionava da seguinte forma – várias pessoas eram autuadas pela Polícia Militar por infringir a legislação de trânsito e posteriormente procuravam o despachante Valter de Pádua. O despachante era o responsável por intermediar, junto ao Detran, o cancelamento ou o não cadastramento de multas e devoluções de carteiras nacional de habilitação que eram apreendidas.

Era de conhecimento notório que Valter de Pádua tinha muita amizade com a ex-funcionária do Detran, Adriana Moreira. Dessa forma ele combinava com a servidora pública a quantia que seria cobrada dos autuados e, após o pagamento das propinas, a multa sequer era registrada no sistema e o documento de habilitação apreendido também era devolvido. Todo o esquema era endossado pelo Superintendente do Detran de Inhumas, Geraldo Camilo, que repartia as propinas com a ex-funcionária Adriana Moreira.

Os suspeitos foram indiciados pelos crimes de corrupção ativa, passiva, prevaricação e quebra de sigilo funcional. A cópia do inquérito policial foi remetido ao Ministério Público para verificar ocorrência de Improbidade Administrativa e ao Presidente do Detran para instaurar processo administrativo disciplinar em relação aos funcionários.