Polícia Civil traça plano para atuação contra crime tributário

366
IMG-20151105-WA0099
Delegados se reuniram para traçar plano de atuação

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), realizou, nesta quinta-feira (05), uma reunião com todos os delegados regionais do Estado, para traçar cronograma e modo de atuação na iniciativa para aprofundar as investigações de mais de 650 empresas com suspeitas de crime tributário, que juntas ultrapassam 1900 autos de infração em dívida ativa. A ação será realizada em conjunto com a Gerência de Recuperação de Créditos (GERC) da Secretaria da Fazenda.

O titular da DOT, Germano Castro, já destinou uma equipe para avaliar os processos e verificar os tipos de violação da lei. Após essa etapa, os casos serão redistribuídos às delegacias de polícia do interior do Estado, onde será procedida a intimação dos suspeitos por crime tributário, conforme a região de domicílio. “Todos os sócios da empresas serão intimados para identificação da responsabilidade de cada um”, explicou o titular da DOT.

Os crimes contra a ordem tributária levam em conta a inadimplência recorrente dos contribuintes e os casos que envolvam prestação de declarações falsas, fraudes e não entregar a nota ou cupom fiscal na venda de produtos. Os processos em investigação ainda não foram representados, o que permite a negociação dos débitos. De acordo com a lei, os crimes contra a ordem tributária podem ser punidos com reclusão e multa, dependendo o tipo de infração.