Policiais Civis da Cidade de Goiás realizam Operação Cegonha e apreendem um menor taficante

476
Policiais Civis que trabalharam na operação

 Após árdua investigação, o Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc), da cidade de Goiás,  tirou de circulação, no dia 22 de novembro, mediante Mandado de Internação Provisória, a principal responsável pela venda de crack na cidade de Faina, a menor de iniciais T.P.R., 17 anos de idade, a qual usava inclusive outros menores da cidade para praticar o ilícito.

T.P.R. chegava a negociar 6 mil reais por final de semana.  Foi descoberto ainda que a menor  tinha um plano para assassinar um homem na cidade de Faina, cujo nome não pode ser revelado. Tal plano se daria pelo fato deste haver roubado uma encomenda de droga feita pela menor ao seu fornecedor de Goiânia. O valor do crime já havia sido fechado em 2 mil reais.

                                                 Prisão Preventiva

Em Goiânia,  no mesmo período, foi cumprido o Mandado de Prisão Preventiva expedido em desfavor de Regismar Silva Barbosa , responsável por fornecer os entorpecentes para a menor.  Regismar responderá pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas e corrupção de menores. Também foram cumpridos cinco Mandados de Busca e Apreensão na cidade de Faina, em locais levantados como sendo de venda ou armazenamento de entorpecentes.  Durante a investigação foram apreendidos porções de crack, celulares, utensílios para preparo de droga, e aparelhos eletrônicos adquiridos com recursos provenientes do crime.

A operação recebeu o nome de “Operação Cegonha”, devido a pessoa procurada, ser menor de idade, e contou com a participação de Policiais Civis das Delegacias de Goiás, Itaberaí e Itapuranga, além daqueles que participaram diretamente da investigação: Ivaldo Gomes de Mendonça (Delegado de Polícia), Agentes de Polícia Agnes Balthazar Rodrigues da Silva, Luiz Evangelista Dantas, José Valério Junior, Neonildo João de Souza, e Escrivã de Polícia Claudilene Souza Mendes.