Policiais Civis da DEAM de Catalão prendem autor de duplo homicídio e uma tentativa

312

Policiais Civis da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher – DEAM/9ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), de Catalão, efetuaram  ontem a prisã (23.8) , de Reilo Antônio da Fonseca, 42 anos. Ele estava foragido desde a noite do dia 28 de julho último, quando em sua residência,  situada no Bairro Castelo Branco, na cidade de Catalão,  assassinou sua ex-companheira Eliane Prata Rocha, 28 anos,  e a ex-sogra Aparecida Prata Barbosa, 49 anos, e tentado contra a vida de sua enteada, a adolescente A.P.B.R.S., de 13 anos – filha de Eliane –  atingindo-a com tiro na perna

Delegado de Polícia Jean Carlos Arruda: Titular da 9ª DRP

De acordo com o Delegado Titular da 9º DRP, Jean Carlos Arruda, que foi apurado no inquérito policial, o indiciado Reilo conviveu com Eliane por mais de 10 anos, sendo que da relação tiveram quatro filhos. Durante a convivência, apesar do excessivo ciúme de Reilo, Eliane nunca relatou ameaças ou agressões físicas por parte do mesmo, porém há cerca de 15 dias antes do fato, o casal se separou, segundo informações, sem qualquer atrito. Ainda segundo o relato dos familiares, dias antes do crime, a vítima Eliane foi até a casa da ex-sogra, de onde Reilo a acompanhou até a casa em que moravam e esta retirou seus pertences sem qualquer desavença.

O indiciado, inconformado com a separação e transtornado pelo ciúme, premeditou a morte de Eliane e de quem mais tivesse em seu caminho. Então, na noite do crime, portando arma de fogo, provavelmente pistola, foi à residência da ex-sogra onde num quarto dormia a vítima  Eliane e na sala, sob um colchão, duas filhas do casal – de 5 e 4 anos. Aparentando nervosismo disse a Eliane que confirmara que ela o havia traído, que tinha provas, o que foi negado pela vítima. Então, o mesmo pediu café e passou a fumar continuamente, não permitindo que as vítimas saíssem da sala, até que se levantou, retirou a arma que estava sob a blusa e passou a municiá-la, ocasião em que a ex-sogra o empurrou para fora da casa e fechou a porta, tendo Eliane e a filha se dirigido para o quarto.

Assim que a porta da sala foi fechada, o indiciado efetuou disparos, tendo então Aparecida retirado as duas crianças da sala para um quarto e, ao voltar para a sala já deparou com Reilo,  que disparou contra a mesma 04 vezes, a qual caiu entre a sala e a cozinha, onde ficou agonizando até ser encaminhada ao Pronto Socorro. Depois se dirigiu até o quarto onde estavam Eliane e filha e apontou a arma na direção do peito da menor, quando Eliane se posicionou na frente e conseguiu dar um “empurrão” no suspeito, tendo então o disparo atingido uma das penas da filha. Eliane, desesperada, foi até a sala para socorrer a mãe, momento em que foi atingida por diversos disparos de arma de fogo, num total de 07, sendo 03 pelas costas, caindo também entre a sala e a cozinha da residência, falecendo no local. Reilo fugiu numa motocicleta e não mais foi visto na cidade.  Já Aparecida foi encaminhada ao PS local mas não resistiu aos ferimentos e também faleceu. Foram encontrados no local do crime 17 cápsulas deflagradas.

Comunicado o fato à Polícia Civil, foram tomadas as providências necessárias, inclusive a representação ao Poder Judiciário pela prisão preventiva do autor dos bárbaros crimes, o que foi prontamente atendido, sendo que após algumas semanas de investigação, policiais da Deam conseguiram localizá-lo na zona rural de Catalão, onde foi preso. Interrogado,  Reilo alegou “não se recordar de nada naquele dia”. Após foi encaminhado ao Presídio da cidade, onde aguardará o julgamento preso. Para finalizar o inquérito restam apenas a juntada de laudos periciais.