Irmãos acusados pela morte de cunhado são presos por Policiais Civis de Jataí. Crime foi em 2010

363

Dois irmãos, Lindomar Celestino de Araújo, de 59 anos, e Divino Celestino de Jesus, 61 anos, foram presos na última sexta-feira, 01/06, por Policiais Civis da cidade de Jataí. Os dois são acusados pelo homicídio Sebastião Xavier de Macedo, que tinha 48 anos. Crime aconteceu no ano de 2010

O Delegado André Fernandes de Almeida informa que no dia 20 de abril de 2010 Sebastião Xavier teria ido visitar os cunhados numa fazenda que fica na na região conhecida como Pantanal da Onça, área rural de Jataí. Ele teria saí­do de casa e sumido. Familiares de Sebastião na época foram até a Delegacia fazer o registro de desaparecimento sendo que as investigações teriam começado mas, até sexta-feira passada, o crime continuava sem solução.

Na quinta-feira, dia 31/05, um parente de Sebastião procurou a Delegacia Regional e solicitou providências do caso, repassando algumas informações importantes a respeito da possível autoria do crime. A Polícia Civil diante de tais informações verificou a veracidade, inclusive executando diligências em outras cidades do sudoeste goiano.

Lindomar e Divino foram presos às 19h do dia 01/06, sexta-feira, e confessaram o crime. Eles disseram que Sebastião chegou teria chegado na fazenda pantanal da onça no dia 20 de abril, onde os dois já estavam. Lindomar e Sebastião começaram uma discussão por conta de um dinheiro que os irmão deviam pra vítima. Sebastião, segundo Lindomar, teria dado um tapa em seu rosto – motivo pelo qual ele pegou uma espingarda cal 36 e efetuou um disparo contra Sebastião, que morreu no local.

Após o crime os irmão Divino e Lindomar, cunhados da vítima, transportaram o corpo para um lugar distante de onde moravam e ali o enterraram. Os dois foram autuados em flagrante por ocultação de cadáver e posse irregular de arma de fogo – a fiança foi negada devido a existência dos requisitos que justificam a decretação da prisão preventiva.

André Fernandes finaliza dizendo que “a perseverança da equipe de Policiais Civis foi decisiva na solução do caso já que mais de400 km de estrada de chão foram percorridos e a localização do corpo enterrado contou com a participação de todos, já que se tratava de local de difícil acesso. Desta forma o desempenho desses policiais civis foi excepcional, digno de elogios e reconhecimento.”