Policiais Civis de Padre Bernardo, no Entorno, prendem acusados por furtos de gado

731

Foram presos por Policiais Civis de Padre Bernardo Cleyton Junior Ferreira e Rogério Ribeiro Damasceno. Os dois são acusados de pertencerem a uma quadrilha especializada em furtos de gado.

O Delegado Rogério Moreira da Silva informa que na cidade, desde o início do ano, foram registrados três furtos de gados em fazendas, sendo que posteriormente foram identificados dois bandos. Em cada furto os criminosos subtraiam cerca de 40 animais, que eram transportados em caminhões.

Uma das quadrilhas, que era liderada por Jean Jakson Martins, foi presa pela Delegacia Estadual de Investigações Criminais – DEIC, em Setembro deste ano. Durante a ação também foram apreendidos 44 animais da raça Nelore que haviam sido furtados da Fazenda Santana,em Padre Bernardo.Osanimais apreendidos estariam sendo transportados para a cidade de Anicuns, onde seriam abatidos.

Em janeiro deste ano Cleyton Junior de Oliveira, de 26 anos, foi identificado como o líder do outro bando. Ele é filho de um comerciante da cidade e ostentava riqueza imotivada, o que atraiu a atenção da Polícia Civil para o envolvimento de Cleyton Junior em práticas criminosas. Ele confessou ter participado do furto de 17 reses, que posteriormente foram comercializadas no supermercado da família.

Desde então iniciou-se uma investigação contra o mesmos e, em Novembro de2011, aDelegacia de Polícia Civil de Padre Bernardo conseguiu identificar a participação de Cleyton e Rogérinho em outros furtos nas fazendas da região. Durante todo o ano mais de 200 animais foram furtados pelo quadrilha.

Do total de gado furtado, 33 eram da Fazenda Pontinha Monteiro  e 77 da Fazenda Idaia. As investigações mostram que os animais eram remarcados pelo bando e depois comercializados na região do entorno de Brasília. Dos 100 animais furtados pelo bando, 81 foram recuperados. Parte estava em uma fazenda arrendada por Cleyton e outra parte estava num frigorífico em Planaltina de Goiás.

O Delegado Rogério Moreira afirma que com essa atuação a Polícia Civil de Goiás está dando uma resposta à criminalidade de que esta prática criminosa em Goiás não ficará sem respostas, deixando os fazendeiros e os pequenos pecuaristas mais seguros em saber que os crimes praticados em suas propriedade não ficarão impunes.