Policiais Civis do 2º Distrito Policial de Itumbiara prendem homicida, assaltante e traficante

559
Weverton, o Neguinho: Homicida preso

Policiais Civis do 2º Distrito Policial(DP), de Itumbiara, em cumprimento a Mandado de Prisão, prenderam, no último dia 17.01, o homicida de nome Weverton, conhecido como Neguinho. O acusado, considerado o mais perigoso homicida e assaltante de Itumbiara, foi encontrado com uma arma raspada, munições e drogas.

Antes da prisão, os Policiais Civis, coordenador pelo Delegado de Polícia Lucas Finholdt, titular do 2º Distrito Policial daquele município, fizeram monitoramento do local onde o autuado estava se escondendo, desde o dia anterior à prisão. Ao perceberem a chegada de Weverton, os policiais cercaram o terreno e invadiram o local, ocasião em que o investigado tentou alcançar a arma, deixada que estava em cima do sofá da varanda, mas foi impedido diante da abordagem rápida e simultânea dos policiais.

Após seis meses de investigação, os policiais do 2º DP concluiram que Weverton seria o autor de diversos delitos, dentre estes, três homicídios qualificados, duas tentativas de homicídios qualificado, um disparo de arma de fogo, tráfico de drogas e porte ilegal de arma. Weverton já havia sido preso pela Polícia Civil em dezembro de 2011, por roubo qualificado e quadrilha armada.

Objetos apreendidos na casa de Neguinho

Na casa de Weverton, foram apreendidos também uma fita adesiva, marca 3G, a mesma usada em uma execução ocorrida em Itumbiara, no dia 15.01, e que teve como vítima Rener Silva Pereira Junior, 21 anos. Os policiais encontram na casa um  jornal com a matéria sobre o homicídio. A vítima foi encontrada amarrada com fitas e todo enrolado em fitas isolantes com a inscrição X9 (giria que identifica delatores no mundo do crime), gravada nas costas.

 O crime aconteceu na estrada que liga Itumbiara a Buriti Alegre. Rener Júnior foi amarrado antes de ser executado com tiros de revólver calibre 38 e espingarda 12.

Interrogado sobre este delito, o autuado negou ter cometido o homicídio, apesar de afirmar que conhecia a vítima, que já ficaram presos juntos e ninguém gostava do falecido. Além do cumprimento do Mandado de Prisão, Weverton foi autuado em flagrante pelo porte de arma raspada e tráfico.  A pena de homicídio qualificado, em tese, é de 12 a 30 anos de reclusão, da tentativa de homicídio a mesma, reduzida de um a dois terços. Já a pena do tráfico de drogas é de 5 a 15 anos. A pena do porte de arma raspada é de 3 a 6 anos, enquanto do disparo de arma de fogo é de 2 a 4 anos.

Texto: Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil