Presa dupla acusada de matar e enterrar corpo de fazendeiro, em Caturaí

442

corpoA Polícia Civil apresentou nesta terça-feira (13/12) o gerente de fazenda Hugo Dário Gomes da Silva, 32 anos, e o trabalhador rural Lucas Tiago de Almeida Silva, de 25, suspeitos pelo assassinato do fazendeiro Walter Vieira de Souza, de 61 anos. O corpo da vítima foi encontrado enterrado em um matagal, na cidade de Caturaí, a 44 km de Goiânia. As investigações dão conta que Walter Vieira de Sousa cobrava insistentemente R$ 60 mil que havia emprestado a um dos autores, o que seria a motivação para o homicídio.

De acordo com o titular da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) e responsável pelo caso, delegado Valdemir Pereira da Silva, os suspeitos armaram uma emboscada para o fazendeiro. “Diante das sucessivas cobranças, o suspeito que contraiu o empréstimo marcou de encontrar a vítima em sua fazenda para pagar a dívida com 40 cabeças de gado. Ao chegar, ele e o comparsa o atraíram para a mata, onde o crime foi cometido”, relata.

Medo e angústia
Já na delegacia, Hugo Dário Gomes da Silva insiste em afirmar que arquitetou e executou sozinho o crime, e que a participação de Lucas Tiago de Almeida Silva consistiu somente em levar a caminhonete até Brazabrantes, mediante o pagamento de R$ 120.

Sobre a motivação do crime, Hugo afirmou que deu início ao plano de matar o fazendeiro porque este, na insistência para receber o empréstimo, começou a ameaçar de morte sua filha e esposa, caso não efetuasse o pagamento. Foi quando entrou em desespero e executou o plano. “Matei por medo, por angústia”, afirma.

O crime ocorreu na última sexta-feira (9/12), quando Walter Vieira de Sousa saiu de Inhumas, onde morava, para encontrar a dupla e acabou morto pelas costas com três disparos de uma pistola 9 mm. A caminhonete do fazendeiro foi abandonada pelos criminosos e localizada na cidade de Brazabrantes, na mesma região.

No dia seguinte, familiares da vítima registraram uma queixa de desaparecimento. Após o início das investigações e mediante informação de que os suspeitos seriam as últimas pessoas com quem a Walter havia se encontrado, a Polícia encontrou a dupla, que confessou o crime e informou onde o corpo estava enterrado.

Já na madrugada de domingo (11) o corpo foi retirado da mata. O delegado relata, ainda, que apura a participação de mais um envolvido que está foragido, conhecido apenas como Darlan, e que teria vendido a arma do crime para Hugo. Os dois presos não têm passagens pela polícia e devem ser indiciados por homicídio e ocultação de cadáver. O devedor ainda responderá por posse ilegal de arma de uso restrito.