Matou a esposa e simulou sequestro, mas não convenceu os Policiais Civis e foi preso

803
Jean Gleider: foragido preso

Policiais Civis de Jataí prenderam no último sábado, 21/04, em Rondonópolis na Mato Grosso, Jean Gleider Morais Silva. Ele é acusado de ter matado a própria esposa com golpes de faca e simular um sequestro para tentar desfigurar o crime.  Gedeane Machado de Lima, a vítima, foi morta no dia 04 de abril desse ano.

O Delegado de Polícia André Fernandes, Titular da Delegacia Regional de Jataí, disse que, no dia do crime Jean foi almoçar com a mulher mas não  teria levado o cunhado como de costume. No dia seguinte o suspeito procurou a Polícia Civil dizendo  que os dois tinham sido abordados por um veículo Gol, cor branca, ocupado por dois sequestradores armados com faca e um revólver. Jean disse ainda que tinha conseguido fugir  mas que a esposa estaria com os sequestradores.

Policiais Civis começaram a investigar o caso e, devido as informações confusas do acusado,  desconfiaram  que o marido poderia ter assassinado a própria mulher.  Além disso, ao se apresentar na Delegacia, Jean tinha um dos olhos tapados com curativo e o braço estava machucado com marcas de unha. Quando foi perguntado o que tinha acontecido Jean respondeu que uma mulher loira, também sequestradora, teria o machucado quando ele tentou fugir.

Testemunhas afirmaram que Jean tinha um relacionamento de três anos com vítima mas que depois de um tempo o casal passou a se desentender. “Ele começou a não deixar sua esposa ir trabalhar ou sair de casa”, disse André Fernandes. Pessoas próximas ao casal também disseram que o acusado era muito ciumento, possessivo e que a vítima tinha medo das ameaças do esposo.

O Delegado acentuou que imagens internas do restaurante onde o casal estava mostram que a roupa usada pelo marido no dia 04  não era a mesma que o suspeito usava quando procurou a Polícia Civil no dia 05. Investigações mostraram que as marcas dos pneus do carro usado por Jean para levar Gedeane para almoçar eram as mesmas verificadas e fotografadas no local onde o corpo foi abandonado – o mesmo veículo foi encontrado depois com as portas travadas.

Com base nessas informações, André Fernandes pediu a prisão provisória do Jean Gleider que passou a ser considerado como foragido da justiça a partir do momento em que deixou de comparecer na Delegacia de Polícia após ser intimado. Jean foi preso em Rondonópolis e encaminhado para a cidade de Jataí. Em seu interrogatório Jean confessou ser o autor do Homicídio e da Ocultação do Cadáver e confirmou que sua primeira versão dada a polícia era na totalidade uma invenção e que o motivo do crime era uma traição praticada por Gedeane. O Delegado acrescenta quer Jean teria se identificado em um lava rápido de Jataí como policial civil. Ele lavou seu carro por duas vezes e não pagou o débito afirmando que em dias próximos a Polícia Civil pagaria o serviço.

André Fernandes finaliza dizendo que a família de Gedeane  ficou muito agradecida a Polícia Civil pelo esclarecimento do crime e prisão do autor. Familiares e amigos fizeram manifesto de agradecimento a Polícia Civil do Estado de Goiás, inclusive nos meios televisivos da cidade. O Delegado parabeniza os esforços dos Policiais Civis de Jataí que desde a comunicação falsa do sequestro, de forma continua, investigaram o caso até sua conclusão.