Polícia Civil: Preso pela DECON, “alquimista” de 67 anos falsificava até champanhes finas

266
champanhe
Veuve Clicquot, cujo preço no mercado está em torno de R$ 300

Um alquimista. Assim pode ser definido um falsificador de bebidas finas preso pela Polícia Civil no Jardim Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia. Edson Luiz Olivari, 67 anos, produzia e comercializava marcas que variavam desde a glamourosa champanhe Veuve Clicquot, cujo preço no mercado está em torno de R$ 300 reais, a marcas famosas de uísque, como Old Parr e Red Label, além de alguns outros itens mais populares.

Segundo o delegado Eduardo Prado, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Consumidor (DECON), há fortes indícios de que o golpista vendia bebidas falsificadas para restaurantes sofisticados de várias cidades, entre elas Brasília. No local onde o falsário agia foram encontrados barris de álcool, essências, máquinas de embalar, caixas para embrulho, selos, tampas, adesivos e lacres.

O delegado tem informação de que Edson Olivari agia há cerca de 30 anos e teria aprendido a técnica em São Paulo. Ele acredita que o homem é um dos maiores falsificadores de bebidas do Brasil.

Texto e foto: Jornal O Popular