Preso suspeito de homicídio que se passava por policial civil

517

gih aparecidaO Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida apresentou na manhã desta sexta-feira (2) Jeremias Alves de Menezes, vulgo “Paraguaio”, e Kelma Ferreira da Silva, suspeitos de envolvimento no assassinato de Vandeval Alves Parente, vulgo “Jhonny”, fato ocorrido no dia 26 de setembro do ano passado, no setor Residencial Caraíbas em Aparecida de Goiânia.

De acordo com as investigações, Jeremias se passava por policial civil, lotado no Grupo de Homicídios de Aparecida de Goiânia, ostentando, inclusive, armas para as pessoas para as quais se apresentava. Além disse, ele usava a expressão “Delegacia de Homicídios, em que posso ajudar?” ao atender o próprio telefone celular.

O homicídio de Vandeval, de acordo com o que revelou as investigações, foi praticado mediante promessa de pagamento, efetuado por Kelma, cunhada da vítima, devido a brigas familiares. Para o crime, Jeremias contou com o auxílio de Israel Honorato Azevedo, amigo da mandante, que também foi preso, por ceder a arma do crime e conduzir a motocicleta durante a execução.

Segundo o delegado Fabrício Flávio, responsável pelo caso, Kelma foi presa pelo GIH de Aparecida no dia 17 de abril do corrente ano, ocasião em que negou participação no crime. Jeremias e Israel, no entanto, confessaram a participação no crime apontaram Kelma, vulgo “Baiana”, como mandante do delito.