Presos suspeitos de matar bancária. Crime aconteceu em outubro passado, na capital

293
thaizze2
Dupla confessou a autoria do crime

Dois jovens, de 19 e 20 anos, Lucas Carlota Santos e Júlio César Silva Barros, foram apresentados no dia 18 de março, pela Polícia Civil. Eles são suspeitos do latrocínio da bancária Thaizze Peres, de 27 anos. O crime ocorreu em outubro de 2014. Ela morreu em janeiro deste ano, quase quatro meses após ter sido atingida por um tiro na cabeça, no Parque Amazônia, em Goiânia, quando voltava de uma igreja .

De acordo com o delegado Klayter Camilo, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), Lucas Carlota Santos e Júlio César Silva de Barros, foram presos após um patrulhamento de rotina da Polícia Militar na segunda-feira. Segundo a PM, a dupla estava em um veículo Volkswagen Voyage que havia sido roubado naquele dia.

thaizze
Thaizze Peres

Já investigados
Com eles foram encontradas drogas e armas, entre elas um revólver calibre 38, que foi comprovado pela perícia como a arma usada no latrocínio da bancária. O delegado explicou que os dois já eram alvos da investigação sobre o crime que vitimou Thaizze e, após a prisão, foram interrogados. Segundo Klayter, ambos confessaram o latrocínio e Lucas, que tem 19 anos, confessou ter sido o autor do disparo. O rapaz argumentou que não tinha a intenção de matar a moça.

Ele explicou à polícia que atirou, porque a vítima tinha reagido à voz de assalto. Mesmo não tendo conseguido levar nada, a dupla foi autuada por latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Os dois estão detidos na carceragem da Deic.

No dia do crime, Thaizze voltava da Igreja Sagrada Família, onde ministrava aulas de catequese. Após levar o tiro na cabeça, a moça perdeu o controle do carro e bateu em uma pilastra na portaria de um condomínio.

Texto: O Popular
Foto: Reprodução