Tiago Henrique: Prisão de assassino confesso é destaque na imprensa internacional

398
serial
Veículos internacionais repercutem prisão

A prisão do vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, que é apontado como o autor de 39 mortes em Goiânia, ganhou repercussão na imprensa internacional. Em depoimento à Polícia Civil, ele confessou os crimes, entre eles uma série de assassinatos contra mulheres, gays e moradores de rua. O caso ganhou destaque na página da BBC, que publicou uma reportagem com o título: “Brasileiro confessa 39 assassinatos”.

O texto relata que o vigilante cometia os crimes em uma motocicleta, com o rosto escondido, e que “agia friamente guiado pela raiva”. A reportagem também destacou que o suspeito foi preso após investigações de uma força-tarefa da Polícia Civil e que o vigilante costumava roubar pertences das vítimas.

Citando uma entrevista dada por um dos delegados que integraram a força-tarefa à TV brasileira, a reportagem destacou que o homem “nunca soube quem era o alvo” e que agia por causa de uma “fúria interior contra tudo”, que só o acalmava quando cometia os assassinatos. A BBC também destacou que, além dos homicídios, Tiago também é suspeito por mais de 90 roubos contra comércios em Goiânia.

A página do jornal norte-americano ABC News também destacou uma reportagem com o título: “Polícia brasileira afirma que prendeu o serial killer”. O texto ressalta que o vigilante confessou 39 assassinatos, mas que o advogado de defesa, Thiago Huascar, afirmou que ele foi “coagido” a assumir crimes que não cometeu.

A reportagem ainda cita que a polícia confirmou que uma arma encontrada com Tiago o liga a, pelo menos, seis homicídios de mulheres ocorridos neste ano. Além das vítimas do sexo feminino, no texto, ele também é apontado como autor de homicídios contra moradores de rua.

O canal norte-americano Fox TV noticiou a prisão do suspeito por assassinatos em série em Goiânia na sua página. “Polícia brasileira diz que prendeu serial killer”, diz o título da reportagem. O texto relata que o vigilante confessou 39 assassinatos, segundo a polícia, mas que sua defesa informou que ele “foi coagido” a confessar.

O jornal britânico Daily Mail publicou uma reportagem na sua página sobre o caso. Com o título “Serial killer de 26 anos confessou 39 assassinatos: vigilante brasileiro se tornou um dos maiores assassinos do mundo”.

O texto destaca que entre as vítimas de Tiago estão 16 mulheres, gays e moradores de rua de Goiânia. Entre os crimes, a publicação cita o de uma estudante de 14 anos, morta em janeiro deste ano. O caso noticiado é o de Bárbara Luiza Ribeiro Costa, que foi executada no Setor Lorena Park.

A reportagem ressaltou, ainda, que o vigilante morava em Goiânia com a mãe e que cometia os crimes usando uma motocicleta, sempre anunciando um roubo, mas que muitas vezes ia embora sem levar nenhum pertence das vítimas.
O jornal espanhol El Mundo também destacou o caso em sua página na internet. “Preso no Brasil assassino confesso de oito mulheres e suspeito por outras 39 mortes”, diz o título da reportagem.

O El Mundo destaca que os crimes que teriam sido cometidos pelo vigilante e que eram investigados pela polícia, seguiram o mesmo padrão. Apesar de citar no título que ele confessou a morte de oito mulheres e é suspeito por outras 39, o texto explica que ele havia confessado oito homicídios contra vítimas do sexo feminino e era suspeito por outras 31 mortes.

O jornal La Nacion também noticiou em sua página, destinada ao Paraguai, a prisão do suspeito de ser um serial killer que agia em Goiânia. “Preso no Brasil um suposto assassino em série que confessou 39 homicídios”, diz o título.
A reportagem ressaltou que Tiago foi preso após cerca de 70 dias de investigações da força-tarefa e que os crimes foram cometidos desde 2011, contra mulheres, homossexuais e moradores de rua.

A publicação também ressaltou que ele tentou suicídio dentro de uma cela da delegacia em que está preso, com pedaços de vidros de uma lâmpada, mas que foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros.

Prisão
De acordo com o superintendente de polícia judiciária de Goiás, delegado Deusny Aparecido, antes de ser capturado, a polícia não tinha o nome do suspeito, mas já sabia de todas as suas características físicas.

Assim, na sexta-feira (10), foi emitido um mandado de prisão temporária para um “homem branco, com idade aproximada de 25 anos, aproximadamente 1,87 metro de altura, complição física atlética, sem barba ou bigode, com pelos no peito, rosto afilado, cabelos pretos, curtos e lisos e sobrancelhas grossas, que normalmente se veste bem”.

O mandado também descreve que o suspeito usava capacete e motocicleta de cor preta com placa adulterada. O vigilante foi preso na Avenida Castelo Branco, na terça-feira (14). Em seguida, ele foi encaminhado à Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), onde prestou depoimento e, de acordo com o delegado, confessou os crimes.

vitimas
Vítimas foram mortas em circunstâncias parecidas

Investigação
Apesar de no início das investigações ter afirmado ter convicção de não se tratar de um único autor das mortes de mulheres, a Polícia Civil disse agora que há cerca de um mês já tinha elementos suficientes que apontavam o vigilante como o assassino nos crimes investigados por uma força-tarefa.

Na quinta-feira (16), a Polícia Técnico-Científica afirmou que os resultados de exames de balística da arma apreendida com Tiago coincidiram com os disparos efetuados em seis homicídios na capital.

Em depoimentos, ainda na noite de quinta-feira, Tiago confessou os crimes à polícia e disse que sempre agia após o consumo de bebidas alcoólicas. O suspeito também alegou que foi abusado sexualmente por um vizinho quanto tinha 11 anos, o que o teria deixado “traumatizado”.

Mortes de mulheres
O primeiro crime da série de assassinatos contra mulheres em Goiânia ocorreu em 18 de janeiro deste ano, quando Bárbara Luiza Ribeiro Costa, de 14 anos, foi executada por um motociclista no Setor Lorena Park. A morte mais recente foi a de Ana Lídia Gomes, baleada em um ponto de ônibus no Setor Conjunto Morada Nova, no dia 2 de agosto. Um motociclista passou pelo local e disparou contra a garota, que não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a polícia, dentre os demais crimes cometidos pelo homem, estão mortes de moradores de rua e homossexuais. Os outros homicídios de mulheres não assumidos pelo homem, segundo a Polícia Civil, continuarão sendo investigados.

No ano passado, o Ministério Público Estadual ofereceu denúncia contra o vigilante por furtar uma placa de uma motocicleta no estacionamento de um supermercado de Goiânia. Imagens de câmeras de segurança mostram ele cometendo o crime.

Também no ano passado, ele foi preso em flagrante em uma motocicleta com placa roubada, mas foi solto. O caso foi registrado no 5º Distrito Policial.

Segundo a Polícia Civil, o jovem foi identificado em imagens registradas por câmeras de segurança no último domingo (12), próximo à lanchonete em que uma mulher foi agredida por um motociclista. O caso foi incluído na força-tarefa. Segundo testemunhas, o motociclista de capacete vermelho atirou na jovem, mas a arma falhou. Então, ele deu um chute na boca dela.

Fonte: G1