Programa Investigador Mirim atende 35 crianças

754

investigador mirimEm seu segundo ano, o Programa Investigador Mirim da Escola Superior da Polícia Civil (ESPC) atende 35 meninos e meninas de 8 a 11 anos em aulas que complementam a formação que eles recebem na escola. De segunda a quarta-feira, entre as 7h30 e 11h30, durante todo o ano letivo, as crianças participam de atividades ministradas por policiais civis voluntários.

O coordenador de Ações Sociais da ESPC, Glauco Leão, afirma que as vagas são oferecidas no fim do ano para as escolas públicas da região para que sejam selecionados os alunos do ano seguinte. “Temos um número de vagas limitado. Por isso, vamos às escolas e falamos com os diretores para que eles indiquem os estudantes que precisam de acompanhamento social”, explica Leão.

Na ESPC, localizada no Jardim Bela Vista, as crianças têm atividades desportivas, educação artística, ética e cidadania e orientação psicológica. Elas também estudam leis de trânsito, educação ambiental e investigação. Além disso, os meninos e meninas participam de palestras sobre prevenção ao uso de Drogas e sobre bullying.

“O trabalho da Polícia Civil é repressivo, porque já entramos nos casos para investigar. Nosso objetivo com o programa é aproximar a polícia da sociedade e fazer esse trabalho de prevenção. A criança poderia estar na rua, mas está na ESPC praticando um esporte e aprendendo algo que contribui para o seu futuro”, afirma o coordenador.

Todas as crianças que participam do programa precisam estar matriculadas em escolas públicas e frequentando as aulas. Ao todo, 25 policiais voluntários participam das atividades com as crianças durante o ano. As vagas de 2017 já foram fechadas. Do ano passado para este ano, a ESPC conseguiu abrir mais cinco vagas para a turma, e a expectativa é que no próximo ano existam ainda mais oportunidades. (Mais Goiás)