Projeto pioneiro da Deam de Rio Verde busca orientar crianças acerca de violência sexual

615

IMG_7429A Polícia Civil de Rio Verde, por meio da Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher), idealizou o projeto “Abrindo os Olhos, Rompendo o Silêncio”, que tem o objetivo de abordar junto a crianças alguns assuntos relativos à violência sexual. De acordo com a delegada Jaqueline Camargo de Queiroz, crimes praticados contra crianças, por pessoas próximas a ela, tais como pais, padrastos, avôs, tios, na maioria das vezes, não são interpretados pela criança como ato abusivo, visto que, via de regra, não são praticados por meio violento. Dessa forma, as crianças somente percebem que tais atos configuram abuso quando atingem a adolescência ou fase adulta, ou seja, anos após a prática do crime, o que dificulta as investigações, além de causarem sérios danos psicológicos às vítimas.

Jaqueline cita dados do Ipea ( Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), segundo os quais apenas 10% dos casos de estupro são noticiados no Brasil, e desse total, 80% são praticados por pessoas do convívio da vítima. “Diante desses dados estatísticos, que foram comprovados na prática por meio dos atendimentos realizados na Delegacia da Mulher de Rio Verde, vislumbrou-se a necessidade de se encontrar os outros 90% de vítimas que sofreram ou estão sofrendo algum tipo de violência sexual e ainda não noticiaram os fatos à Polícia”, comentou a delegada.

IMG_7420A intenção do projeto, conforme Jaqueline, é informar as crianças sobre atos abusivos praticados em face delas, fornecendo-lhes discernimento para reconhecerem atos de violência, bem como lhes disponibilizando acesso a uma rede de atendimento, integrada pela Secretaria Municipal de Educação (representada por professores e coordenadores), Conselho Tutelar e Delegacia de Mulher. “Nesse primeiro momento de idealização do Projeto, surgiu a preocupação em proceder-se a uma abordagem lúdica junto às crianças, visto a necessidade de preservação de sua integridade psicológica frente a temas tão sérios e graves, sendo que concomitantemente à idealização do Projeto, pensou-se na utilização do material elaborado pela pedagoga Caroline Arcari, a qual tem experiência na abordagem de crianças vítimas de violência sexual infantil”, explicou.

O Projeto também foi apresentado ao Núcleo de Prática Jurídica da Universidade de Rio Verde, representado pela coordenadora Scheila França. “A instituição nos deu apoio imediato e integral, iniciando-se a elaboração de todas as etapas e fases a serem traçadas para atingir o objetivo proposto”, frisou Jaqueline.

IMG_7422A primeira etapa consistiu em contatar a pedagoga Caroline Arcari, convidando-a a integrar o Projeto, por meio do treinamento das equipes, e também no convite a instituições afins de proteção à criança sendo que o Conselho Tutelar de Rio Verde, a Vara de Família da Comarca de Rio Verde, a Secretaria de Educação Municipal e o Núcleo de Psicologia instalado na Delegacia da Mulher de Rio Verde, prontamente aceitaram o convite. A segunda etapa, que está em andamento, está capacitando cerca de 35 profissionais para realizarem palestras às crianças. O campo de trabalho será, inicialmente, as escolas públicas municipais de Rio Verde, as quais possuem cerca de 25.000 alunos com idade de 1 a 14 anos.

O ciclo de palestras será iniciado no mês que vem com previsão para atingir, até dezembro de 2017, o total de 2500 crianças. Em um segundo momento, o projeto também contará com acadêmicos do Curso de Direito e Psicologia da UNIRv, que serão selecionados e receberão o treinamento adequado para atuarem em conjunto com as equipes já formadas. O Projeto também recebeu o apoio da OAB, da Rede LFG, do Instituto Cores, do Vereador Lucivaldo Tavares Medeiros e da TV Anhanguera, os quais estão contribuindo ativamente para a execução do Projeto.