Quadrilha que aplicou golpe milionário em Goiânia é presa pelo Gref/Deic no Sul do país

836
WhatsApp Image 2016-10-31 at 20
Quadrilha aplicou golpe no valor de R$ 1 milhão em Goiânia

Uma quadrilha responsável pela aplicação de um golpe milionário na Região Metropolitana de Goiânia foi apresentada na manhã de terça-feira (01) pelo Grupo de Repressão ao Estelionato e Outras Fraudes (Gref) da Delegacia Especial de Investigações Criminais (Deic). As prisões dos quatro membros levaram os investigadores aos estados de Santa Catarina e Paraná para realizar as capturas.

Os indivíduos são investigados pela prática de um golpe conhecido como “Arara”. A partir da aquisição de empresas e da transferência de sua propriedade para laranjas, o grupo inicia várias negociações, centradas na compra de produtos, os quais jamais são pagos.

De acordo com a delegada Mayana Rezende, titular do Gref, a quadrilha se instalou na Região Metropolitana de Goiânia em setembro de 2015. Após alugar uma mansão, iniciaram a compra de três empresas caracterizadas por atuarem há vários anos no mercado, e abriram uma filial no setor de calçados e vidraçaria. As propriedades foram transferidas para laranjas.

A partir dessa aquisição, os membros da quadrilha passaram a adquirir produtos para os estabelecimentos, além de outros tipos de bens. Assim, foram comprados um caminhão, um automóvel, um quadriciclo e uma lancha. Durante a investigação, foi apurado um volume de compras calculado em R$ 1 milhão.

Abandono
Após as compras, os membros da quadrilha abandonaram as empresas e desapareceram com os bens adquiridos. Com a evolução dos trabalhos investigatórios, verificou-se que os cabeças da organização criminosa viviam como empresários de prestígio em Santa Catarina.

A partir do deslocamento de equipe de policiais do Gref para Santa Catarina e Paraná, foram presos Robson Carlos Rabelo, 33 anos, e Márcio de Almeida, 38 anos, os quais são os cabeças da organização. Também em Santa Catarina foi presa Carla Luciene Militão Haag, 43 anos. Odair Pedro da Silva, 43 anos, foi preso no Paraná. Em desfavor deste havia dois mandados de prisão preventiva. Odair já se preparava para aplicar novo golpe “arara” em Londrina.