Serial killer: Mais 14 laudos incriminam o vigilante Tiago Henrique

1241
serial killer
Tiago Henrique Gomes da Rocha

Dezesseis mortes já podem ser comprovadamente atribuídas, segundo a polícia, ao vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, o suposto serial killer que, preso há dois meses, em Goiânia, confessou, inicialmente, ter matado 39 pessoas – número depois reduzido, por ele, para 28. No dia 4 de dezembro, a Polícia Técnico-Científica apresentou novos laudos de confronto microbalísticos ligando a arma usada por Tiago Henrique – um revólver calibre 38 – e os projéteis recolhidos em vítimas de homicídio dos quais ele é suspeito.

Ao todo, 14 novos casos, depois de analisados, foram concluídos pelos peritos. Em 12 deles, as vítimas são mulheres; em dois, homens. Um dos laudos – o referente ao homicídio de Bruna Gleycielle de Souza, morta aos 26 anos, no dia 8 de maio deste ano, o laudo teve resultado inconclusivo, por causa da qualidade ruim do projétil, danificado. Isso não significa, contudo, que o vigilante não possa ser indiciado pela morte da jovem, já que a polícia dispõe, nesse caso, de outras provas da suposta autoria do crime, inclusive testemunhais.

No mês passado, três laudos foram emitidos pela Polícia Técnica Científica comprovando que as balas que mataram as vítimas saíram da arma apreendida com Tiago Henrique. Com a divulgação dos laudos, estão encerrados os confrontos balísticos dos crimes investigados pela força-tarefa instituída em 4 de agosto para apurar assassinatos em série de mulheres na capital. Em outras três possíveis vítimas identificadas – incluídas na força-tarefa – não foram feitos confrontos microbalísticos por falta de projéteis.

O delegado Thiago Damasceno recebeu os laudos da superintendente da Polícia Técnica Científica, Rejane Barcelos. Estiveram presentes na apresentação do trabalho à imprensa, o gerente do Instituto de Criminalística, Wagner Torres Fernandes, e a perita criminal Itatiane Pires. Damasceno informou que vai remeter ao Poder Judiciário os inquéritos sobre as mortes de Carla Araújo e Ana Maria Victor.

Outro assassinato cuja autoria deve ser atribuída a Tiago Henrique é de Rafael Carvalho Gonçalves, em 16 de fevereiro do ano passado, no cruzamento da Avenida Bernardo Sayão com a Rua Senador Jaime, no Setor Campinas. À reportagem o delegado Murilo Polati, titular da Delegacia de Investigações de Homicídios, afirmou por mensagem pelo aplicativo WhatsApp que não tinha acesso aos dados sobre as investigações dos outros 22 homicídios e que, quando concluídos os inquéritos comunicará a imprensa.

Texto: O Popular
Foto: Polícia Civil