Suspeitas de homicídio em Cachoeira Dourada se entregam à Polícia Civil de Itumbiara

616
cachoeira
Fabiana Izídio e a filha, Kamylla

Após terem suas fotos divulgadas na mídia de Goiás e de Minas Gerais, as foragidas Fabiana Izídio de Souza, vulgo “Bianca”, de 35 anos, e sua filha, Kamylla Kerollen Izídio de Souza, de 19 anos, se entregaram à Polícia Civil de Itumbiara, no dia 12 de fevereiro. Elas são suspeitas de participação na morte de Nelci Carla dos Reis Costa, de 34 anos, brutalmente assassinada no dia 30 de janeiro passado, em Cachoeira Dourada.

Segundo o Delegado Lucas Finholdt, titular do 2º DP de Itumbiara e da Delegacia de Cachoeira Dourada, ao se entregarem na Delegacia de Plantão de Itumbiara, as mulheres confessaram que estavam escondidas em Montividiu, no sudoeste goiano, e resolveram se apresentar em razão da divulgação de suas fotos na mídia e por ficarem sabendo que a Polícia Civil estava empenhada na captura de ambas para o desfecho do crime.

De acordo com o delegado, mãe e filha foram interrogadas e confirmaram que residiam na mesma residência dos demais suspeitos, já presos. Elas confessaram que estavam no local no exato momento do crime. Segundo a versão das investigadas, uma delas estaria dormindo, enquanto a outra teria presenciado todo o espancamento. A dupla confirmou que a vítima sofreu bastante e foi agredida por mais de uma hora, antes de morrer.

https://www.policiacivil.go.gov.br/noticias/policia-civil-apresenta-suspeitos-de-homicidio-brutal-em-cachoeira-dourada.html

A Polícia Civil de Itumbiara já havia realizado diligências em seis cidades, duas em Minas Gerais e quatro em Goiás, onde supostamente as foragidas estariam se escondendo. Até o momento, foram presos, em razão de mandado de prisão temporária, seis suspeitos pelo delito. Um menor também foi apreendido. Nova acareação será feita nos próximos dias para dirimir as controvérsias dos interrogatórios dos suspeitos.

Os investigados poderão responder por homicídio qualificado, ocultação de cadáver, tráfico de drogas, associação para o tráfico, coação no curso do processo, corrupção de menor e favorecimento pessoal. As investigadas foram recolhidas no Presídio Regional de Sarandi, distrito de Itumbiara.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / Itumbiara