Titular da Denarc participa de curso internacional sobre lavagem de dinheiro e tráfico

613

Delegado Vinícius Teles toma parte da delegação brasileira da iniciativa entre os dias 14 e 18 de agosto em El Salvador, a convite de agência dos EUA

WhatsApp Image 2017-08-18 at 16.22.42O Delegado Vinícius Teles, titular da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc), participou do curso de Confisco de Ativos e Lavagem de Capitais a convite do Drugs Enforcement Administration (DEA), agência de repressão a drogas norte-americana. O curso aconteceu em El Salvador entre os dias 14 e 18 de agosto.

Realizado na International Enforcement Law Academy (ILEA), Academia Internacional para Aplicação da Lei, entidade vinculada ao Departamento de Justiça Americano, o curso tratou dos mais recentes temas atinentes à lavagem de dinheiro consumada por organizações criminosas de atuação transnacional, em especial as de narcotraficantes que agem nas Américas.

WhatsApp Image 2017-08-18 at 16.22.41
Delegado Vinícius, da Denarc, durante aula em El Salvador

A delegação brasileira foi composta por delegados das Polícias Civis de Goiás, Amazonas, Ceará, Distrito Federal e Rio de Janeiro. Também tomaram parte na iniciativa as delegações do Uruguai, Paraguai, das Bahamas, Colômbia, do Suriname e de El Salvador. “Em se tratando de organizações criminosas, a mera apreensão de drogas é absolutamente insuficiente à repressão. É indispensável que o Estado ataque o patrimônio do grupo, pois, só assim, sua desarticulação será efetiva. Além do mais, é recorrente, em operações da Denarc, a apreensão de drogas e identificação de criminosos de países fronteiriços como Paraguai, Colômbia e Bolívia”, pontua a autoridade policial goiana.

Vinícuis Teles destacou, ainda, o valor do curso por ter promovido o contato entre as várias autoridades de segurança pública de diferentes nações do continente americano. “O curso foi muito relevante, já que, para além do conteúdo ministrado referente às técnicas investigativas de lavagem de capitais e confisco de ativos, permitiu a aproximação de autoridades policiais de vários países da América latina, o que, sem duvida, será muito útil à nossa Policia Civil”, ressaltou.