Traficante Zeca Doido é preso pela quarta vez por Policiais Civis do Genarc de Goianésia

647
José Antônio  Maia, o Zeca Doido

Policiais Civis do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos – GENARC, de Goianésia, prenderam José Antônio Severino Maia, de 57 anos, acusado de tráfico de drogas. Ele foi preso na última sexta-feira, dia 19.04. Esta é a quarta vez que Zeca Doido, como é conhecido, é autuado em flagrante pelo mesmo crime. Ele relatou ser usuário de drogas há 45 anos.

O Delegado Marco Antônio Maia Junior, Coordenador do Genarc, disse  que na manhã da sexta-feira os Policiais Civis ficaram de campana nas proximidades da residência de José Antônio, onde várias pessoas foram detidas após terem adquirido porções de maconha do acusado. Em seguida, os policiais entraram no local para cumprir Mandado de Busca e Apreensão Domiciliar, tendo apreendidos cerca de  800 gramas de maconha e R$217,00 em dinheiro.

José Antônio, mesmo sabendo que mais de sete pessoas declararam ter comprado droga dele, negou ser traficante de drogas e ainda desafiou a Polícia Civil e a justiça afirmando que vai continuar traficando assim que conseguir liberdade. Ele já foi processado oito vezes, sendo que em quatro foi condenado por tráfico de drogas, cumpriu integralmente suas penas e continuou negociando maconha com usuários.

Na sua residência foram apreendidos ainda livros e revistas que defendem a descriminalização do uso da maconha. Ao ser  interrogado, Zeca Doido se sentiu injustiçado, afirmando que faz apenas um trabalho voluntário ao fornecer maconha de graça para pessoas que eram dependentes químicos do crack e conseguiram largar o vício com o uso da maconha. Para o traficante,  Zeca Doido a maconha é  um calmante e relaxante medicinal. Ele diz acreditar que a a maconha é uma erva medicinal e não droga, razão pela qual, na sua opinião, por isso vendê-la não caracteriza tráfico.

Marco Antônio Maia Junior informou que a droga e o dinheiro apreendidos com ele mostram que o acusado comercializava o produto, uma vez que um simples usuário jamais iria adquirir quase um quilo de maconha para o seu próprio consumo. Vale ressaltar que todas as pessoas que foram detidas após saírem da casa de Zeca Doido declaram ter comprado maconha do mesmo.