Prostituição: Polícia Civil prende três por exploração sexual de menores em Inhumas

790
GEDSC DIGITAL CAMERA
Delegado Humberto: local era conhecido da polícia

Com a imagem de uma mulher sensual na entrada, piscina e cozinheira contratada, o “Recanto do Paraíso” é uma casa de prostituição na GO-070, entre os municípios de Inhumas e Itauçu. No início da tarde de 25 de fevereiro, o dono e dois gerentes do estabelecimento foram presos em operação da Polícia Civil de Inhumas.

Há meses as investigações já aconteciam e algumas batidas policiais já haviam sido realizadas, “mas não encontrávamos nada de relevante”, conta o delegado Humberto Teófilo. Dessa vez, os policiais civis encontraram duas garotas menores de idade, vindas de Anápolis. “Deparamos com elas sendo intermediadas através dos dois gerentes”, explicou o delegado.

Uma das garotas tinha 16 anos e a outra, 17. As duas vão ser entregues para os responsáveis, através do Conselho Tutelar de Inhumas. Além delas, cerca de cinco mulheres estavam na casa de prostituição.

Os três homens foram autuados por exploração sexual de vulnerável, corrupção de menores, venda de bebida alcoólica para menores e associação criminosa. Desde o ano passado, exploração sexual de crianças é considerada crime hediondo. Com esse argumento, foi pedida a prisão preventiva dos suspeitos.

O dono do “Recanto do Paraíso” é conhecido pelo apelido de “Já Morreu” e não é a primeira vez que o nome de seu empreendimento aparece nos noticiários. Em março de 2014, o prefeito de Itauçu foi flagrado no lugar utilizando um carro oficial da Receita Federal. Na época ele explicou que passou no local apenas para comprar água.

Texto: Diário da Manhã
Foto: Inhumas em Alerta