UGOPOCI faz reconhecimento ao trabalho dos Policiais Civis que prenderam serial killer

257

Logo PCO presidente da União Goiana dos Policias Civis (UGOPOCI), Marcos Cesar da Silva Valverde, encaminhou ao Delegado Geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski, Ofício de número 28/2014, com conteúdo de reconhecimento ao trabalho realizado pelos Policiais Civis que atuaram, com absoluta dedicação, nas investigações que resultaram na prisão do assassino em série Tiago Henrique Gomes da Rocha, autor confesso dos assassinatos de mulheres e moradores de rua de Goiânia.

As mortes praticadas por Tiago Henrique repercutiram em todo o mundo, mas não foi diferente também quando da sua prisão, resultado de um esforço muito grande da Polícia Civil, que foi bastante cobrada para que o assassino fosse preso. A resposta veio, depois de 70 dias de ininterruptas investigações, com um trabalho coroado pelo esforço e dedicação de cada um dos Policiais Civis que compuseram a força-tarefa formada para prender o assassino. Veja abaixo a integra do documento:

Ofício nº 28/2014
Goiânia, 23 de Outubro de 2014

Exmo. Sr.
João Carlos Gorski
Delegado Geral da Polícia Civil de Goiás.
N E S T A.

Senhor Delegado Geral,

Ao cumprimentá-lo, externamos o mais sincero e profundo reconhecimento aos Policiais Civis que trabalharam e continuam trabalhando nas investigações que culminaram com a prisão do homicida (serial killer) Tiago Henrique Gomes da Rocha, o que muito nos orgulha.

Sabemos de todas as dificuldades e da pressão social cobrando uma resposta da Polícia Civil para a resolução da série de crimes de homicídios que vinham ocorrendo em nossa capital. A Polícia Civil foi colocada em cheque, questionada e até desdenhada por alguns. Queremos registrar que nossa entidade em momento algum teve dúvidas de que chegaríamos a um desfecho positivo, certos de que os esforços levariam os investigadores a identificar e prender o responsável por aqueles crimes.

O grau de dificuldades de certos crimes demanda maior tempo para resolução do que outros menos complexos. Quem desconhece o trabalho de investigação não faz ideia do empenho dos Policiais Civis envolvidos nas investigações, como, por exemplo, carga excessiva de trabalho, campanas infindáveis, estresse, cruzamento de dados, dentre outras, e das técnicas de investigação utilizadas.

Não sabem, por certo, que a Polícia Civil precisa realizar um trabalho de excelência para que seja possível apresentar ao Poder Judiciário argumentos de convicção para decretar as medidas cautelares necessárias à realização de prisões e, a posterior, o conjunto probatório seja suficiente para a formação da culpa que levará o responsável à condenação.

É de se ressaltar que em decorrência da grande quantidade de crimes com características similares, gerou boatos de que poderia haver um grupo de extermínio atuando na capital. Diante a situação, a Comissão de Direitos Humanos da ALEGO e deputados da oposição chegaram a pedir intervenção federal, tendo inclusive, sido instaurado incidente de deslocamento de competência, sendo assim, entendemos que as investigações da Polícia Civil goiana mostraram-se suficiente, tendo o referido incidente perdido o seu objeto.

Sabemos que esta é uma primeira fase, e que muito há para se fazer para a completa elucidação dos vários delitos investigados e confessados. O trabalho da polícia civil não se exaure com a prisão, ao contrário, é o primeiro passo, certo é que há uma concatenação sucessiva de atos que ocorrem pós-prisão que são cruciais para a finalização da investigação. Então, temos convicção de que ainda há muito trabalho a ser realizado.

Cientes da dedicação dos Policiais Civis que iniciaram as investigações e os que se integraram à força tarefa, principalmente o nosso núcleo de inteligência, apresentamos nossos elogios e solicitamos que conste no assentamento individual de cada servidor policial civil que tenha direta ou indiretamente auxiliado nas investigações das mortes em séries ocorridas em Goiânia, que acabaram por gerar repercussão nacional e até internacional colocando nossa capital em manchetes desabonadoras.

Com cordiais saudações.

Marcos César da Silva Valverde
Presidente da UGOPOCI