Vereador de Caldazinha é preso por comercializar queijo estragado

866

Produto era fabricado ao lado do laticínio do parlamentar. Derivado do leite tinha mofo, larvas e insetos

queijo caldazinhaA Polícia Civil prendeu, nessa terça-feira (22), Waldemar Marques Esteves, vereador do município de Caldazinha, suspeito de comercializar queijo curado impróprio para consumo. Segundo o delegado Webert Leonardo, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), o queijo era produzido de forma clandestina em uma casa situada ao lado do laticínio de Waldemar, em total desrespeito às normas sanitárias vigentes.

A operação da Polícia Civil, que teve apoio da Agrodefesa e da Polícia Técnico-Científica, identificou grande quantidade de queijo vencido. “O queijo que era ralado tinha larvas e mofo e estava armazenado num lugar muito sujo”, contou o delegado. Parte do queijo ralado já estava embalada para repasse aos supermercados.

Waldemar foi autuado pela prática de crime contra as relações de consumo, cuja pena pode chegar a cinco anos de prisão. A Agrodefesa efetivou o procedimento administrativo correlato. Ao todo, foram apreendidos e inutilizados aproximadamente 500 quilos de produtos impróprios para o consumo.